Coluna da Antônio José Larangeira de 28 de dezembro de 2015

O cirurgião plástico Cezar Kely afivelando malas para curso nos EEUU.  No flash com Kika e Larangeira.

O cirurgião plástico Cezar Kely afivelando malas para curso nos EEUU. No flash com Kika e Larangeira.

Abertura do MAP

Amanhã, (29/12/2015), à noite, acontecerá  a entrega do Mercado de Arte Popular Dival Pitombo aos permissionários e à comunidade pelo governo municipal, embora o seu funcionamento ocorrerá dia quatro de janeiro, após ser reformado. O MAP está incluído entre os bens de Feira de Santana com tombamento no Instituto do Patrimônio Artístico de Cultural (Ipac), pelo relevante interesse arquitetônico. Com a reforma foi incluído um mural em azulejo da artista plástica Vânia Garcia ilustrando a heroína Maria Quitéria. Situado em quarteirão no centro que integra a praça João Pedreira, o calçadão da rua Sales Barbosa e as ruas Benjamim Constant e Libânio de Moraes, o Mercado tem mais de 2.500 metros quadrados de área construída.

Prédio centenário, em 1901 teve lei promulgada para cuidar da construção do Mercado Municipal. Em 1906, foi feito empréstimo de 100 contos de reis para a construção, com responsabilidade técnica de Accioly Ferreira da Silva. Foi inaugurado em 27 de março de 1915 pelo intendente Bernardino Bahia. Foi reinaugurado em 22 de março de 1980, pelo então prefeito Colbert Martins, depois de reforma para abrigar o Mercado de Arte Popular. Por lei  do então vereador Antonio Carlos Coelho, sancionada no primeiro mandato do prefeito José Ronaldo, em 2004, o prédio passou a se chamar Mercado de Arte Dival Pitombo.

Confraternização

O restaurateur Jose Cerqueira Coutinho, o conhecido chef Zequinha, recebeu seus amigos mais chegados ao meio dia da ultima segunda feira para um almoço onde o prato primordial foi o carneiro na brasa, oportunidade em que celebrou  a Confraternização da ‘Confraria do B’ . Tudo ocorreu em sua casa noturna Ponto do Zequinha.

João Bosco

Sucessos que marcam os mais de 40 anos de carreira de João Bosco foram apresentados ao público feirense na noite de quarta-feira passada, quando ocorreu o encerramento do Natal Encantado 2015. É a primeira apresentação de um dos ícones da Música Popular Brasileira (MPB) em Feira de Santana. João Bosco é a um tempo homem-música e homem-canção. Essa tensão entre a canção (relação irredutível entre melodia e letra) e a música (tudo o que excede essa relação) atravessa a sua obra, se manifestando com muita força após a interrupção da parceria com Aldir Blanc. Em seu último disco, Não vou pro céu, mas já não vivo no chão, João Bosco realiza um rigoroso trabalho de reduzir essa tensão à canção pura: sem ornamentos, com canto despojado, só o osso.

Curso internacional

Para cumprir um período de atividades de estudos internacionais na área  da cirurgia plástica nos Estados Unidos, o cirurgião plástico Cezar Kelly, que estará avionando na primeira semana de janeiro que vem.

Esta coluna é publicada nos sítios jornalísticos

Jornal Grande Bahia

Tribuna da Bahia e

Notícias da Bahia

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Facebook do JGB

Publicações relacionadas

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Antonio José Larangeira
Antonio José Larangeira nasceu em 11 de janeiro de 1945, é natural de Santo Amaro da Purificação (BA), é formado em Administração, pela Faculdade Anísio Teixeira (FAT). Atua como jornalista profissional, com registro nº 514 (SINJORBA/FENAJ) e publica coluna diária nos jornais Grande Bahia, Pátria Latina e Tribuna da Bahia. E-mail: ajlarangeira2@hotmail.com.