Ato contra o impeachment em Brasília pede saída do deputado Eduardo Cunha

Integrantes da CUT e de movimentos sociais marcham contra o impeachment de Dilma Rousseff e pelo afastamento de Eduardo Cunha.

Integrantes da CUT e de movimentos sociais marcham contra o impeachment de Dilma Rousseff e pelo afastamento de Eduardo Cunha.

Manifestação que contou com a participação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) reuniu milhares de pessoas quarta-feira (16/12/2015), em Brasília. Segundo os organizadores, cerca de 5 mil pessoas já estavam concentradas, por volta de 18h30, em frente ao Estádio Manpe Garrincha. A Polícia Militar contabilizava 2,5 mil naquele momento.

Os manifestantes caminharam cerca de 5 quilômetros do estádio até o Congresso Nacional. Pediam a saída de Eduardo Cunha da presidência da Câmara e protestavam contra a abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

O presidente do PT, Rui Falcão, chegou pouco antes das 19h. “No Brasil todo temos manifestações, todas a favor da democracia, pedindo mudanças na política econômica e, principalmente, defendendo um projeto de país. Esse legado de 13 anos não pode ser ameaçado por golpistas”.

Dentro do estádio, a presidenta participava da 3ª Conferência Nacional da Juventude ao lado do ex-presidente do Uruguai e atual senador José Mujica. A caminhada deixou o local em direção ao Congresso por volta das 19h50.

Manifestantes se concentram em frente ao Congresso Nacional onde o ato foi encerradoFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Emerenciana Ribeiro, de 75 anos, levou as duas filhas para a manifestação. “Vim para a rua protestar contra o impeachment. Minha família toda é contra o golpe tramado para acabar com a democracia”. Para Fabianos Ruas, de 41 anos, não há motivos para o impeachment da presidenta Dilma. “O governo tem erros, mas não a ponto de tirar a presidente. Para mim, esse impeachment é mera disputa de poder. Vim para defender a democracia”.

Três das seis faixas de trânsito do Eixo Monumental no sentido Congresso Nacional foram interditadas pela polícia. Por volta das 21h30 os manifestantes chegaram ao gramado em frente ao Congresso Nacional, gritando várias palavras de ordem contra Eduardo Cunha, principal alvo do protesto. Por volta das 22h, os grupos começaram a se dispersar.

*Com informações da Agência Brasil.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br