Pautas para a retomada do crescimento do País não podem esperar por 2016, avalia senador Walter Pinheiro

Walter Pinheiro: “Chegou a hora de fazer. Não dá mais para ficarmos sempre apontando o que vamos cortar. Onde é que vamos apostar, onde o Governo pode aportar para voltarmos a crescer e a respirar”.

Walter Pinheiro: “Chegou a hora de fazer. Não dá mais para ficarmos sempre apontando o que vamos cortar. Onde é que vamos apostar, onde o Governo pode aportar para voltarmos a crescer e a respirar”.

O senador Walter Pinheiro (PT/BA) defendeu em pronunciamento, nesta quinta-feira (05/11/2015), que o Legislativo mantenha o foco, ainda neste neste ano de 2015, em pautas que possam promover o crescimento do País. Ele elencou pautas que podem ser consideradas como alternativa, neste momento de crise, como a MP 691/2015, que autoriza e regulamenta a venda de imóveis e terrenos da União.

“Primeiro, a partir da arrecadação com esses imóveis, ou com esses terrenos, digamos assim, de forma muito mais enfática, e até com o processo de utilização, em permuta, desses patrimônios espalhados pelo Brasil inteiro, como forma de o governo obter recursos. Isso vale mais do que uma CPMF. Portanto, sem aumentar a carga tributária. Este é o momento em que precisamos desse movimento, até para resolver dois problemas: um, da União, do seu caixa; e outro, nos nossos Estados e Municípios”, ressaltou.

Para o senador, o Congresso e o Executivo não podem deixar para o ano de 2016 a apreciação de pautas propositivas para incrementar investimentos e o desenvolvimento regional. Outro ponto importante, disse ainda Pinheiro, seria promover uma modificação na estrutura econômica para permitir mais investimentos. Ele disse que o Brasil chega ao fim do ano com a sensação de que pouco foi feito. “E olha que nós estamos insistindo e demos uma contribuição enorme para o Governo com a Comissão do Pacto Federativo. Aprovamos um bocado de matérias. Agora o Governo precisa funcionar, precisa pegar isso e botar para rodar”, apontou.

Ainda de acordo com o senador, o tempo de fazer ajustes já passou. “Não pode [o governo] ficar num tema de uma nota só: ajuste ajuste, ajuste, ajuste, ajuste. Já ajustou demais, não tem mais cintura para botar esse cinto. Já apertou, apertou, apertou. Acabou. Então, agora é: vamos lá botar para funcionar”, ressaltou. O senador discorreu também sobre encontro entre o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, com um grupo de senadores e disse estar confiante com a retomada dessas pautas com o novo interlocutor do Governo.

“Esse esforço, que é de todos nós, estamos buscando, tanto é que fizemos a conversa. Havia Senadores de diversos partidos, inclusive a oposição. Conversamos com o Ministro, ouvi lá atentamente o pronunciamento, por exemplo, do Senador Lasier [Martins (PDT-RS)], dizendo ‘vamos lá, tentar construir’. Todo mundo se esforçando. Mas é preciso ter uma coisa que afirmei naquela reunião: o Governo também precisa querer ser ajudado, se permitir a isso, interagir. Mas é necessário que a gente aproveite daquela reunião e diga assim: ‘Está bom, qual é o próximo passo?’ Porque eu participei de várias reuniões, inclusive com Joaquim Levy na Presidência [do Senado]. Apresentamos a ele quatro pontos para que a gente pudesse tocar essa questão central, quatro, e não quarenta, como muita gente ficava dizendo que era Pauta Brasil. Quatro pontos, dentre eles essa questão do investimento”, relatou.

Pinheiro encerrou afirmando que o momento é de atitude e que manterá seu foco no trabalho para melhorias sociais e econômicas do País. “Chegou a hora de fazer. Não dá mais para ficarmos sempre apontando o que vamos cortar. Onde é que vamos apostar, onde o Governo pode aportar para voltarmos a crescer e a respirar”.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br