MPF/BA denuncia três pessoas por sonegação fiscal de quase R$ 6,5 milhões em despesas de saúde

O contador Flávio Rubens Souza Andrade apropriou-se de informações fiscais de diversos e utilizava os dados para fraudar IR de clientes. O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) denunciou três pessoas por sonegação fiscal, em um esquema que totalizou R$ 6.448.099,65 em despesas de saúde. O réu Flávio Rubens Souza Andrade valeu-se do acesso à sede da Fundação ABM de Pesquisa e Extensão na Área de Saúde, onde estava situado seu escritório, para obter talonários e informações fiscais de diversos médicos, empregando os dados nas fraudes.

O esquema acontecia da seguinte forma: Andrade vendia recibos e notas fiscais falsificadas de serviços médicos e odontológicos para clientes que o contratavam para fazer suas declarações de Imposto de Renda (IR), cobrando 10% do montante ilicitamente deduzido.

Nos anos de 2000, 2001 e 2003, o réu Ailton Silva Vieira reduziu e suprimiu o pagamento de IR, declarando despesas falsas de saúde, elaboradas em conjunto com Flávio Andrade. A Receita Federal do Brasil (RFB) lavrou auto de infração no valor de R$ 33.721,30, tendo Vieira requerido o parcelamento. Com o não pagamento, o débito foi inscrito na dívida ativa da União em março de 2011. Em 2006 e 2007, o terceiro denunciado, Sérgio Luciano Novaes de Queiroz, também com o apoio de Andrade, sonegou R$ 6.414.378,35. O lançamento definitivo do débito só ocorreu em julho deste ano, pois Queiroz havia recorrido no procedimento administrativo na RFB.

O MPF requer a condenação de Flávio Rubens Souza Andrade, Ailton Silva Vieira e Sérgio Luciano Novaes de Queiroz por omissão de informação e prestação de falsa declaração às autoridades fazendárias, conforme art. 1º, inciso I da Lei 8.137/90, que possui pena de reclusão de dois a cinco anos e multa.

Dimensão do esquema – O esquema criminoso empregou, em seu total, 1.054 recibos falsos que favoreceram 330 contribuintes e 733 notas falsas que beneficiaram 260 pessoas. Cerca de 80 médicos e dentistas tiveram seus nomes utilizados. Parte dos contribuintes já foi denunciada por sonegação em outros processos e a maioria deles pagou o imposto posteriormente, o que, segundo a legislação brasileira, extingue o crime de sonegação fiscal.

Número da ação penal para consulta processual na Justiça Federal: 030938-79.2015.4.01.3300

Outras publicações

Novo teste ajuda aumentar as chances de fertilização in vitro Exame ERA ajuda avaliar o tempo exato para a implantação do embrião ao útero. Estima-se que no Brasil, mais de 270 mil casais em idade fértil tenham...
Hospital filantrópico Santa Casa de Oliveira dos Campinhos pode anunciar fechamento Santa Casa de Oliveira dos Campinhos, com 147 anos de funcionamento, pode comunicar, a qualquer momento, suspensão de todos os seus serviços diante d...
Setembro Amarelo: suicídio faz mais vítimas que o HIV, alerta especialista Luiz Henrique Braga palestra sobre o Setembro Amarelo. A cada 45 minutos morre uma vítima de suicídio no Brasil. O país é o oitavo no ranking de sui...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br