Ministro da Saúde revela interesse em novas parcerias com Bahiafarma

Rui Costa dos santos.

Rui Costa dos santos.

A produção da Bahiafarma, laboratório farmacêutico público do Estado, despertou interesse de novas parcerias com o Ministério da Saúde, depois de reunião realizada, na sexta-feira (20/11/2015), no gabinete do governador Rui Costa. As tecnologias desenvolvidas e os medicamentos produzidos, no polo farmoquímico baiano, foram apresentadas ao ministro da Saúde, Marcelo Castro, como possibilidade de solucionar alguns dos problemas que o mercado brasileiro possui atualmente, como a dependência de importação de grande parte da medicação usada no País.

Além do governador, participaram do encontro o ministro da Saúde, o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, e o diretor-geral da Bahiafarma, Ronaldo Dias. A iniciativa deve aumentar a participação do ministério como incentivador e consumidor da produção da Bahiafarma, por meio de Parcerias para Desenvolvimento Produtivo (PDPs). Com essa parceria, o governo federal se compromete a adquirir toda a produção de determinado medicamento ou produto fabricado pelo laboratório. Ao final de cinco anos, a tecnologia utilizada para essa atividade específica será incorporada ao laboratório.

Abastecimento do SUS

Segundo Marcelo Castro, essa ferramenta possibilita desenvolvimento tecnológico do País e fortalece o abastecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Para isso, o objetivo é intensificar ainda mais as parcerias com os laboratórios públicos, na Bahia e em outros estados.

“Estamos bastante interessados na produção de próteses e órteses, no complexo industrial baiano, já que essa é uma área muito complexa e não centralizada pelo Ministério da Saúde. Cada secretaria de estado e de município faz a sua aquisição separadamente. Queremos centralizar essa produção, padronizar a nomenclatura, com produtos de qualidade e, naturalmente, por um preço mais acessível do que fazemos hoje”, explicou o ministro sobre o mais novo interesse do Ministério em relação à Bahiafarma.

Atualmente o laboratório já trabalha com duas PDPs, na produção de dois medicamentos, e outras seis parcerias já foram aprovadas e estão em processo de implementação. Segundo o secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, essas parcerias são uma vitória e significam o reconhecimento da importância do polo farmacêutico da Bahia.

“A relação entre o Governo do Estado e [o] governo federal na saúde vem trazer não só divisas para o estado, […vai oferecer também] à população medicamentos mais baratos, além de contínua garantia de funcionamento e fornecimento para toda a população [da Bahia], e contribuir com o Sistema Único de Saúde”, comemorou o secretário.

Imunobiológicos

Segundo o presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, depois de apresentados os projetos em execução e os que irão entrar em operação, o ministro pediu que as iniciativas sejam aceleradas para novas parcerias, e cita os imunobiológicos, que deverão ser fabricados, pela primeira vez no Nordeste, pela Bahiafarma.

“Estamos com muitos projetos interessantes e que representam […] soluções para a questão de importação de medicamentos no Brasil. Além de pensar na Bahia, a Sesab está articulando um consórcio público de laboratórios oficiais para organizar a produção de cada estado, estabelecendo parceria e diversificando ainda mais o mercado, atentos para suprir as necessidades do País”, disse ele.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Facebook do JGB

Publicações relacionadas

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br