Feira de Santana: líder da bancada de oposição quer determinar limites de relocação de verbas na Lei Orçamentária Anual para 2016

“Não vamos nos intimidar com “o rolo compressor”, afirma Alberto Nery.

“Não vamos nos intimidar com “o rolo compressor”, afirma Alberto Nery.

A Lei Orçamentária Anual para o exercício de 2016 começou a ser discutida na manhã desta segunda-feira (09/11/2015) em sessão na Câmara Municipal e o líder da bancada de oposição, vereador Alberto Nery, já declarou que irá apresentar emendas ao projeto enviado pelo Poder Executivo. Para Nery, é necessário discutir amplamente os investimentos antes de aprová-los, para principalmente evitar que relocações de verbas aconteçam constantemente como aconteceu em 2015. “Não é porque o prefeito tem a maioria dos vereadores da Casa que vamos deixar de fazer o debate importante para a cidade. Não podemos admitir por exemplo, que o orçamento municipal total aumente e que a verba para a Secretaria de Agricultura diminua, enquanto a de Comunicação só cresce. Temos sofrido com a estiagem, principalmente nos distritos e a receita da Agricultura cai de 7 milhões em 2013, para 4 milhões em 2016. Já a da Secom aumentou. Isso é, no mínimo, incoerente”, argumentou Nery.

Para o petista, é preciso ainda criar mecanismos que que proporcionem mais transparência com a aplicação dos recursos públicos. “Atualmente a maioria dos municípios brasileiros limita a 10% a relocação e transferência de recursos entre as secretarias. Aqui em Feira de Santana, o limite é de 80%. Isso não faz sentido. Vamos propor, através de Emenda, que esse limite seja de 20%. É mais do que suficiente para um orçamento de mais 1 bilhão de reais. É preciso dar mas transparência a aplicação desses recursos, para que a sociedade acompanhe como está sendo gasto esse dinheiro”, afirmou.

Embora a oposição atualmente seja formada por apenas três vereadores, Nery disse não se intimidar. “Vamos fazer o nosso papel e defender o que acreditamos. O debate é benéfico para o município e para a comunidade. Enquanto vereador eleito pelo povo, não vamos deixar de cumprir o nosso papel de fiscalizador. Desde já agradeço a compreensão dos colegas e vamos construir a democracia, não um processo ditatorial, porque a base governista tem a maioria para tentar passar o rolo compressor”, finalizou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br