Feira de Santana: prefeito José Ronaldo avalia três anos de governo, analisa a crise econômica e política, e fala sobre a perspectiva de candidatura à reeleição em 2016

Durante entrevista, Prefeito José Ronaldo de Carvalho disse que crise nacional preocupa e que processo eleitoral de 2016 será tratado em tempo oportuno.

Durante entrevista, Prefeito José Ronaldo de Carvalho disse que crise nacional preocupa e que processo eleitoral de 2016 será tratado em tempo oportuno.

Prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM), concedeu entrevista hoje (30/11/2015) ao Jornal Grande Bahia, oportunidade em que faz uma síntese dos três anos de governo, analisa a crise econômica e política, e fala sobre a perspectiva de candidatura à reeleição em 2016.

Jornal Grande Bahia – Dia 1º de janeiro de 2016 o senhor completo três anos de governo. Poderia fazer uma retrospectiva e pontuar os principais aspectos destes três anos da sua administração?

José Ronaldo de Carvalho – Sim, claro de que improviso a gente vai esquecer de muita coisa. Eu acho que tem sido positivo para a sociedade de Feira de Santana. No momento de grande crise, nós estamos conseguindo fazer a cidade e administração viva, atuante e continuamos realizando obras e investimentos muito na educação.

Os últimos dados que colhemos da educação, de outubro 2015, está apontando 29% de investimento em educação, é um dos maiores índices do Brasil. Dados divulgados, recentemente, por um grande anuário nacional mostra que Feira de Santana é a 23º cidade em investimentos na saúde e educação, o que mostra que não estamos não em uma campanha política quando se diz que minha prioridade vai ser saúde e educação. Nós estamos na prática mostrando isso.

Investimos muito na infraestrutura da cidade. Hoje, graças à Deus, quando chove na cidade você quase não houve falar de alagamentos. Você só houve falar dos locais bem próximos a lagoas. Tirando das lagoas, você percebe que não tem alagamentos. O que demonstra que nós investimos muito na infraestrutura, para acabar com esse tipo de problema.

Outro aspecto diz respeito ao pavimento da cidade. Você ouve e escuta os meios de comunicação que diminuiu consideravelmente o número de queixas no que se refere ao piso da cidade, o que mostra que também estamos melhorando o piso da cidade, a pavimentação.

Você observa que no setor de obras estamos conseguindo implementar obras de grande vulto, a exemplo do BRT, que de agora em diante você vai observar um impulso muito grande nessa obra, com várias ações, em várias partes da cidade, em várias avenidas. Serão várias ações ao mesmo tempo. Isso vai começar a acontecer a partir de hoje, na cidade de Feira de Santana, nessa obra.

O BRT é um projeto vencedor, um projeto que tirou algumas árvores e estamos replantando. Então, aquilo que dizemos que vamos fazer, nós fazemos. Estamos mostrando, filmando e levando ao conhecimento a sociedade que aquilo que assumimos, e estamos realizado.

Na área social são vários projetos que estão sendo feitos com grande aprovação. Na área cultural conseguimos, mesmo com a crise, manter todos os projetos da Secretaria da Cultura, inclusive o Natal Encantado.

Com relação aos investimentos em mobilidade urbana, estamos prestes a receber na cidade uma grande quantidade de ônibus. Eles, com certeza, vão melhorar consideravelmente o sistema de transporte público da cidade de Feira de Santana. Imagine quando o BRT estiver pronto e essa quantidade de ônibus rodando e chegando aqueles ônibus novos que são os maiores, articulados, que a gente espera que alguns tenham até ar condicionado também.

Então, eu acredito que isso tudo mostra que o governo está vivo, atuante e vencendo as dificuldades.

JGB — Vários municípios e alguns governos estaduais têm atravessado grave crise econômica. Como estão as finanças do município de Feira de Santana e quais são as perspectivas para 2016?

José Ronaldo – A crise é grande no Brasil. A imprensa divulga isso diariamente. A falta de recursos tem sido considerável, a gente está lutando com muita força, controlando as despesas e diminuindo gastos para que a gente possa cumprir com todas nossas obrigações. Até agora a gente tem conseguindo, mas não há a menor dúvida que a situação vem se agravando em nível de país, e é claro que nos preocupa muito.

JGB — O senhor faz parte da classe política. No momento, essa classe tem sido objeto de várias matérias nacionais concernente ao caso Lava Jato. Como analisa esse cenário de desgaste político da classe?

José Ronaldo – Eu acho que é um desgaste político não só da política, é um desgaste político de muitas outras classes, eu acho que o país está vivendo algo de extrema gravidade, extremamente preocupante e tudo isso muito preocupante, agora o bom que a gente está vendo são as ações muito fortes da Justiça do Supremo do Tribunal Federal, do juiz que está conduzindo o caso, do Ministério Público, da polícia, eu acho que isso tem dado um exemplo muito bom a sociedade brasileira.

JGB — Com relação ao município de Feira de Santana, nos últimos dias estamos atravessado uma grave alta de temperatura climática, com registro de temperatura oscilando em torno dos 40º c. Existe algum plano do município para recuperar as lagoas, uma vez que elas atuam como refrigeradores naturais do município?

José Ronaldo – Esse aumento da temperatura, ele não se ocorre apenas em Feira de Santana. Ela está ocorrendo em nível de Brasil. Eu li, recentemente, um grande estudioso transmitindo essa grande preocupação do aumento do calor em determinados momentos e o aumento do frio em outros determinados momentos. O que mostra um desequilíbrio do controle em nível de Brasil, sendo ampliado cada vez mais. Etão isso é uma coisa que realmente preocupa a todos nós, e isso tem de ser uma ação que não deve ser localizada apenas em uma cidade, isso é uma ação que deve ser de toda a sociedade e toda comunidade. Antigamente as pessoas gostavam de ter árvores nas portas das casas, hoje quase ninguém gosta mais disso, eu acredito que essa antiga prática ajuda e contribui a minimizar o calor e melhorar o ambiente.

JGB — 2016 é ano eleitoral, lhe pergunto antecipadamente, o senhor será candidato a reeleição?

José Ronaldo – Estou muito preocupado em conduzir a administração pública, preocupado na questão da crise. Primeiro a gente tem que cuidar de tudo isso. A questão política tem o momento próprio para ser tratado com muito mais profundidade.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.