Feira de Santana: Delegado diz que não vinculou tiros em UPA a atendimento médico

Os tiros que atingiram uma placa informativa e a parede do lado de fora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Mangabeira, em Feira de Santana, não tiveram como motivo problema relacionado a recusa de atendimento médico naquela emergência.

Os tiros que atingiram uma placa informativa e a parede do lado de fora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Mangabeira, em Feira de Santana, não tiveram como motivo problema relacionado a recusa de atendimento médico naquela emergência.

Os tiros que atingiram uma placa informativa e a parede do lado de fora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Mangabeira, em Feira de Santana, não tiveram como motivo problema relacionado a recusa de atendimento médico naquela emergência. Alguns veículos de comunicação divulgaram nas últimas horas que essa teria sido a razão dos disparos. O delegado João Rodrigo Uzzum, coordenador da Polícia Civil em Feira de Santana, informa que não há, absolutamente, nenhuma informação apurada neste sentido.

“Nós não chegamos a nenhuma conclusão sobre o episódio”, afirma o delegado, surpreso com a divulgação por parte de setores da imprensa de que a informação teria partido dele. “Há um equívoco aí. Essa pode ser uma das nossas linhas de investigação, dentre outras várias. Mas não há constatação de que tenha sido uma briga por causa de atendimento médico o motivo dos disparos”, diz ele.

A secretária de Saúde do município, Denise Mascarenhas, garante que no horário em que ocorreram os tiros a UPA da Mangabeira estava tranquila. “Não havia um só paciente sendo atendido lá, por volta das 3 horas da madrugada”. Segundo ela, os médicos, inclusive, estavam no seu conforto, aguardando a algum chamado: “Então, não haveria razão para não se atender a alguém naquele momento”.

O delegado preocupou-se em fazer o reparo porque é precipitado, em sua opinião, se afirmar qual teria sido a causa dos disparos. “Sabe-se que um homem, em um automóvel, efetuou tiros contra a UPA, mas não há ainda apuração do que o levou a fazer isto”.

Nota de esclarecimento

Em nota emitida na quarta-feira (11/11/2015), a Secretaria da Saúde de Feira de Santana esclarece sobre disparos de arma de fogo na área externa da UPA

Confira o teor da nota

A propósito de notícia divulgada em alguns meios de comunicação, sobre disparos de arma de fogo contra o prédio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localizada no bairro Mangabeira, em Feira de Santana, a Secretaria Municipal de Saúde,  faz os seguintes esclarecimentos:

1.    Não houve disparos no interior da Unidade de Pronto Atendimento, em episódio ocorrido por volta das 3h25min desta madrugada.

2.    Os disparos, que podem ter chegado a seis, atingiram uma placa em frente a um dos portões da unidade e uma área da parede do prédio, no lado externo.

3.    As câmeras de monitoramento da região revelam a aproximação de um automóvel provavelmente conduzindo três pessoas. Uma delas desce do carro, efetua os disparos, retorna ao veículo e vai embora.

4. A Secretaria Municipal de Saúde comunicou o fato à Polícia Civil. Espera-se que as investigações possam chegar aos responsáveis pelo ocorrido.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br