Durante visita a Vitória da Conquis, deputados da oposição avaliam que existe evidência de desperdício de recursos públicos em obras do Estado

Deputados estaduais do bloco de oposição durante visita a Vitória da Conquista.

Deputados estaduais do bloco de oposição durante visita a Vitória da Conquista.

Os deputados da bancada de oposição na Assembleia Legislativa estão em Vitória da Conquista cumprindo agenda de fiscalização das obras paralisadas do governo do estado. Recebidos pelo deputado da região, Herzem Gusmão (PMDB) e um grupo de políticos local, os parlamentares iniciaram o roteiro pelas obras do novo aeroporto de Conquista, cuja ordem de serviço foi assinada em 2013 pelo então governador Jaques Wagner.

“Constatamos aqui mais um exemplo de desperdício do dinheiro público promovido pelo governo petista da Bahia, habituado a iniciar obras sem projeto”, disse o líder da bancada, deputado Sandro Régis (DEM) informando que apesar da pista de pouso em conclusão, não existe no entorno estrutura que indique a construção do terminal de passageiros. ” Sabe-se que a licitação foi adiada para dezembro e a informação é que não existe  projeto e nem orçamento locado”, lamentou o líder.  ” Depois de tanto tempo de iniciada, o que vemos aqui é um corpo sem cabeça”, indignou-se o deputado Herzem Gusmão, anfitrião da visita.

Do Aeroporto os parlamentares seguiram para as obras de construção do laboratório Bahiafarma que deveria ter entrado em operação desde 2012 e, no loca,l só existe um galpão.” O que vemos aqui é a música de uma nota só: obras eleitoreiras paralisadas”, observou o deputado Luciano Ribeiro (DEM). O tucano Adolfo Viana criticou a falta de planejamento do governo e frisou que a gestão petista vem se notabilizando pela total falta de programação em relação aos seus gastos. Os deputados se mostraram também impactados com a ociosidade do novo presídio de Vitória da Conquista, com obra totalmente concluída mas sem utilização. O presídio, que custou aos cofres públicos R$ 33 milhões e tem capacidade para acolher cerca de 800 detentos, está inativo.

“É um absurdo constatar que existe um complexo na Bahia sem utilização enquanto a crise de vagas superlota todos os presídios”, criticou o deputado Hildécio Meirelles (PMDB), lembrando que os presídios complementam o sistema de segurança pública. “O governo sequer sabe operacionalizar os equipamentos que tem”, lamentou. O deputado Herzem Gusmão informou que o atual presídio de Conquista tem capacidade apenas para 170 vagas, mas abriga quase 300 presos. À tarde, a agenda de fiscalização prossegue com visita às obras das UPA, Hospital de Base e Pronto Socorro.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.