Deputada Moema Gramacho classifica agressão na Câmara Federal como absurda e desrespeitosa

Momento em que a deputada Moema Gramacho é agredida na Câmara Federal.

Momento em que a deputada Moema Gramacho é agredida na Câmara Federal.

A deputada Moema Gramacho (PT-BA) foi agredida por manifestantes que pediam o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, em incidente ocorrido na tarde desta quarta-feira (04/11/2015), no Salão Verde da Câmara dos Deputados. A parlamentar aguardava a Polícia Legislativa retirar um banner dos manifestantes quando começou a ser empurrada e xingada pelos militantes. “É um desrespeito enorme! Não podemos ser agredidos em nosso próprio local de trabalho! Pedi à presidência da Câmara que determinasse a retirada do painel e o presidente disse que ordenaria isso. Mas a Polícia Legislativa, ao invés de cumprir a ordem da presidência, deu proteção ao painel”, explicou a deputada Moema Gramacho.

Logo após o episódio, o deputado Afonso Florence (PT-BA) fez a denúncia na tribuna da Câmara. “A deputada Moema foi empurrada. Eu presenciei essa cena”, registrou Florence, que solicitou providências ao presidente da Câmara. A irregularidade do painel e a agressão também foram denunciadas pelo deputado Ságuas Moraes (PT-MT). “De acordo com o ato da Mesa 69/2010, não se pode fixar cartazes e banners no Salão Verde, mas os manifestantes o fixaram na parede. A deputada Moema Gramacho foi pedir à Polícia Legislativa para retirar o banner, mas os manifestantes a cercaram e a agrediram-na”, afirmou Ságuas.

Moema Gramacho registrou queixa na Polícia Legislativa contra os manifestantes, que estão algemados a uma coluna no Salão Verde e mantém acampamento no gramado do Congresso Nacional – outra irregularidade, proibida por uma resolução de 2001, assinada pelo então presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG).

Segundo a deputada, várias pessoas se machucaram e o comportamento da Policia Legislativa foi omisso na proteção aos parlamentares e permissivo aos manifestantes que protegiam o painel. Portanto faltou comando da Casa. O painel foi arrancado no tumulto e a Polícia Legislativa levou detido um assessor do PT denunciado por um deputado de oposição que insuflava os manifestantes contra os deputados do governo. Levaram detidos também dois jovens alegando que teriam jogado cédulas com fotos de Cunha quando este passava no local.

Moema define o fato como “Um absurdo”! “A moralidade seletiva e a permissividade do desrespeito vem predominando nesta Casa Legislativa. Dezenas de meliantes ocuparam as galerias recentemente e jogaram centenas de cédulas na cabeça dos deputados e não deu em nada e Cunha da Mesa assistia inerte. Deputados e seus assessores montarem painel agredindo a Presidenta na entrada do plenário é além de um desrespeito à Presidenta, às normas da Casa, à isonomia dos direitos, um precedente que pode ser usado contra qualquer um”, afirmou a parlamentar.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br