Câncer de próstata atinge um em cada seis homens

Novembro Azul, mês mundial de combate ao câncer de próstata.

Novembro Azul, mês mundial de combate ao câncer de próstata.

A campanha “Novembro Azul” está relacionada com o mês de cuidados com a saúde do homem. Mas o câncer de próstata está diretamente relacionado com o mote da campanha. O motivo é lógico: a doença atinge cerca de 7% dos homens no Brasil, sendo a principal neoplasia em casos entre os pacientes do sexo masculino.

O urologista do Hospital Santa Cruz, em Curitiba, Francisco Pegoretto, explica que o principal desafio no diagnóstico da doença está relacionado com o preconceito masculino para a realização dos exames de rotina. “Aspectos culturais, dos quais os homens sentem-se invulneráveis a doenças, desconhecimento e medo do exame de toque retal levam a retardo do diagnóstico. Acredita-se que apenas metade dos homens no Brasil fez exame de próstata nos últimos dois ou três anos”, revela Pegoretto.

O urologista explica que, pelo fato de a doença não apresentar sintomas, o exame de toque retal é essencial para diagnóstico. Esse exame é simples e realizado em 5 segundos, sem necessidade de nenhum preparo. Deve-se recorrer aos demais procedimentos de investigação, como biópsia guiada por ultrassom e ressonância magnética nuclear, somente nos casos de suspeita clínica ou laboratorial de câncer de próstata. “Nenhum centro de referência mundial usa exames de imagem para rastreamento populacional. Além disso, o exame de sangue, isoladamente, é imperfeito”, ressalta.

A dificuldade de identificação dos casos pode ser medida em números. No ano passado, enquanto foi realizado em torno de 16 milhões de consultas ginecológicas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o número de exames urológicos não ultrapassou a casa dos dois milhões. Em 2014, o câncer de próstata representou 28 % das neoplasias que acometeram os homens nos Estados Unidos.

Diagnóstico, fatores de risco e tratamento 

Quando diagnosticado precocemente, 80 a 90 % dos casos são curados através de cirurgia, radioterapia ou braquiterapia, inclusive alguns casos podem ser apenas vigiados.

O risco do câncer de próstata aumenta em homens com mais de 50 anos. Outros fatores de risco estão relacionados com a hereditariedade, obesidade e a raça negra. A gordura da carne vermelha está relacionada ao aumento da incidência da doença e o tabagismo a sua maior agressividade.

Atividade física, controle alimentar, diminuição da gordura visceral abdominal podem prevenir a doença. A neoplasia pode ser diagnosticada por exame de sangue (PSA) e toque retal. O especialista reforça a necessidade da realização dos exames anualmente e em conjunto.

Outras publicações

Feira de Santana: CMPC registra aumento de 400 por cento de câncer de próstata Atendimento do Novembro Azul no CMPC. O Centro Municipal de Prevenção ao Câncer Romilda Maltez (CMPC) registrou um aumento em torno de 400% de casos...
Saúde mobiliza Bahia contra a dengue O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, visitou Salvador nesta sexta-feira (18/02/2011) para reforçar a necessidade de ações de mobilização contra a d...
Mais de 80% de crianças não come o suficiente para desenvolver o cérebro, afirma Unicef Metade de crianças entre seis meses e dois anos não tem o mínimo de refeições para sua idade. Unicef revela que melhor nutrição infantil pode salvar...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br