Abaixe o volume! Fones de ouvido podem levar à surdez

Usuários desses equipamentos com menos de 30 anos têm perdas auditivas equivalentes aos idosos.

Usuários desses equipamentos com menos de 30 anos têm perdas auditivas equivalentes aos idosos.

Mania entre os jovens, o uso indiscriminado de fones de ouvido pode provocar perda auditiva, se não usado com moderação. O otorrinolaringologista, Marcos Juncal, explica que, nesse caso, a membrada do tímpano é atingida diretamente pelo som, podendo prejudicá-la, em casos de volume acima da média. Pesquisas apontam indivíduos com menos de 30 anos apresentam perdas equivalentes a pessoas acima dos 60 anos.

“O nosso ouvido consegue suportar exposições prolongadas de até 60 decibéis, sem danos. A questão é que o volume dos fones pode chegar até 120. Essa exposição irá provocar danos irreversíveis à audição”, detalha o otorrino. O tipo de fone também pode influenciar. “O interauricular (aquele que é colocado dentro dos ouvidos) é o modelo mais prejudicial, pois amplia o efeito do som”, completa.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que 360 milhões de pessoas sofrem com algum tipo de deficiência na audição, sendo a música frequente e em volume alto fatores de risco. “O zumbido esporádico é uma consequência inicial, que não pode passar despercebido. Se não tratado de maneira adequada, o incômodo pode se tornar frequente e provocar a surdez”, informa Juncal.

Algumas recomendações podem prevenir a perda precoce da audição, como a redução do volume e do tempo de exposição. “O ideal é não ouvir música por mais de duas horas seguidas e não ultrapassar metade do volume do aparelho. Nas baladas, a cada hora, é saudável procurar um local mais silencioso, para dez minutos de descanso”.  Além disso, estar atento ao som ambiente é vital. “Prestar atenção à buzina de um carro ou ao um sinal de alerta é uma questão de segurança”, conclui.

Outras publicações

Secretaria de Saúde da Bahia vai convocar mais de 2 mil novos servidores aprovados em concurso público em 2008 A Secretaria Estadual da Saúde (SESAB) vai convocar até o final deste ano mais de dois mil novos servidores, aprovados no concurso público realizado e...
Sedentarismo custa 67,5 bilhões de dólares à economia global, por ano, afirma pesquisa Sedentarismo custa 67,5 bilhões de dólares à economia global. Esse número faz parte de uma série de estudos publicados na Lancet, revista científica...
Governança corporativa é fundamental para as organizações de saúde Presidente da Anahp, Francisco Balestrin, fala sobre o assunto, na 27ª edição do Fórum BMAIS, em Salvador. Potencializar uma organização e atrair in...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br