Salvador: estudantes e comunidade mostram habilidades artísticas no Dançarte

Alunos participam do Dançarte.

Alunos participam do Dançarte.

Uma mistura de diferentes ritmos e expressões artísticas marcou a segunda edição do Dançarte, evento que reúne em um só palco dança, música e teatro. Promovido pelo Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, localizado no bairro da Caixa D’Água, em Salvador, a culminância de apresentações de estudantes de cursos como balé, dança de salão, dança afro e outros, que fazem parte do Núcleo de Pluralidade Artística, aconteceu na tarde desta quarta-feira (28/10/2015), no teatro da unidade escolar. O Núcleo conta com a participação dos estudantes, da família dos alunos e da comunidade em geral.

O casal Florisvaldo Oliveira, 51 anos, e Roselvira Souza de Oliveira, 48 anos, já praticam dança de salão, há três anos, na Escola Parque. Esta apresentação tem um significa mais que especial para eles. “A dança de salão transformou a minha vida porque já tive síndrome do pânico e, hoje, me sinto bem melhor. Não pretendo sair tão cedo, pois, está me ajudando a superar isso”, destacou Roselvira de Oliveira. Seu esposo contou que até a relação conjugal melhorou depois que os dois passaram a se integrar na dança. “Quando estou dançando com ela me sinto em paz e o stress da correria do dia a dia acaba, por isso, recomendo a jovens e adultos, principalmente”, disse Florisvaldo Oliveira.

Quem também se apresentou no Dançarte foi Jeane Souza, 38 anos, e sua filha, Giovana Fiuza, seis anos. “Matriculei a minha filha nas aulas de balé e gostei tanto do ambiente que resolvi fazer parte das aulas de dança afro. Estou emocionada porque estou vivendo este momento único com ela, de mostrar as habilidades da dança”.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Pluralidade Artística, Silvana Carvalho Pereira, o espetáculo Dançarte é um momento livre, porque traz um recorte do que o professor desenvolve em sala de aula com os alunos. “Com esse evento podemos trabalhar não só a autoestima do estudante, como também a do professor”, destacou a gestora

De acordo com a professora de Balé, Maísla Freitas, o que mais a surpreende é quando vê no rosto de suas alunas, de seis a 16 anos de idade, a satisfação em mostrar o melhor de si para os familiares e amigos. “O amor que elas têm pela dança é muito bonito porque elas valorizam esse espaço e desde pequenas aprendem a ter disciplina e motivação”.

Para Marcos Pires, responsável pelas aulas de dança de salão, o diferencial de suas aulas é que são utilizadas músicas ao vivo. “Isso traz um benefício muito grande porque faz com que os alunos se aproximem mais da música e da dança, além de promover a interação entre jovens e pessoa da terceira idade, que é o público que tem mais procura pelas aulas”, ressaltou o educador.

Outras publicações

Deputado propõe diálogo do Fórum Estadual de Educação com prefeitos baianos a partir da UPB Reunião do Fórum Estadual de Educação da Bahia. Em reunião ordinária do Fórum Estadual de Educação da Bahia (FEE), o representante da Assembleia leg...
Cruz das Almas: Conferência ‘Perspectivas da Educação Diante das Ameaças à Democracia’ é proferida por Moacir Gadotti Conferência ‘Perspectivas da Educação Diante das Ameaças à Democracia’ é proferida por Moacir Gadotti. Em homenagem aos 95 anos de nascimento do edu...
Governo do Estado contrata mais de 11,5 mil servidores para a educação, anuncia governador Rui Costa Governador Rui Costa anuncia contratação de pessoal para educação. O pleno funcionamento das escolas da capital e do interior está garantido com a c...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br