Oposição diz que Câmara Municipal de Camaçari também deverá rejeitar contas do ex-prefeito Luiz Caetano

Ex-prefeito de Camaçari Luiz Carlos Caetano tem contas rejeitas pelo TCM.

Ex-prefeito de Camaçari Luiz Carlos Caetano tem contas rejeitas pelo TCM.

Segundo a oposição, Camaçari recebeu sem surpresa a decisão do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) de rejeitar as contas do ex-prefeito Luiz Caetano relativas ao ano de 2012. Além de apontar diversas irregularidades nas contas, o conselheiro Paolo Marconi, relator do processo, solicitou uma representação contra Caetano, hoje deputado federal, junto ao Ministério Público por improbidade administrativa, aplicou ao ex-gestor uma multa de R$ 36 mil e determinou o ressarcimento aos cofres municipais, com recursos pessoais, de R$ 4,5 milhões, referentes aos gastos com publicidade sem comprovação, e de mais R$ 94,6 mil, devido ao pagamento de subsídios a mais para secretários.

O líder da oposição em Camaçari, vereador Antonio Elinaldo (DEM), afirmou que a decisão já era esperada. “A corrupção instalada na gestão do ex-prefeito Caetano sempre foi denunciada por nós. O resultado dela é que hoje o povo de Camaçari sofre em todas as áreas do serviço público, já que todo esse dinheiro foi tirado da saúde, da educação, da infraestrutura e das iniciativas que poderiam gerar emprego e renda em nossa cidade. Esse é o estilo PT de governar que está sendo desvendado pelos tribunais de todo o país”, salientou o democrata.

Elinaldo afirmou ainda que a Câmara de Vereadores de Camaçari deverá, com base na decisão do TCM, rejeitar as contas de Luiz Caetano. “O clima político na Casa é de rejeição das contas diante de tantas irregularidades e denúncias de desvios de recursos públicos. Hoje o ex-prefeito não tem respaldo político e nem popular para tentar reverter tanta maldade que ele praticou quando ocupou o posto de prefeito”.

Entre as irregularidades apontadas por Paolo Marconi estão a falta de comprovação de recursos repassados à Cidade do Saber (mais de R$ 7,2 milhões desde 2007), a prorrogação de contratos sem a apresentação de documentos comprovando o atendimento de requisitos legais, contrato com a Fundação Escola de Administração da UFBa e não apresentação de processos referentes a gastos com publicidade.​

Elinaldo aconselhou Caetano a sair da vida pública para dar explicações sobre as irregularidades apontadas pelo TCM. “Um cidadão como esse deveria encerrar a vida pública para dar explicações ao TCM, ao Ministério Público e à Justiça. Ele certamente não vai sair ileso porque hoje o clima no nosso país é de acabar com a corrupção. Não podemos mais aceitar que políticos como Caetano continuem atuando para destruir a esperança das pessoas de ter uma cidade, um estado e um país melhores para se viver”.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br