Nordeste tem a maior taxa de homicídios do país, mostra estudo

Tabela de homicídios nos estados do Nordeste.

Tabela de homicídios nos estados do Nordeste.

A região com a maior taxa de homicídios dolosos por 100 mil habitantes do país é o Nordeste (33,76), seguida da Região Norte (31,09) e do Centro-Oeste (26,26). As regiões Sudeste e Sul apresentam taxas menores, 16,91 e 14,36, respectivamente. No Nordeste, o estado com a maior taxa por grupo de 100 mil habitantes é o Ceará, com 46,9 homicídios, equivalente a 4.144 mortes, seguido de Sergipe (45 assassinatos por 100 mil habitantes).

Os dados, de 2014, estão no relatório Diagnóstico dos Homicídios no Brasil: Subsídios para o Pacto Nacional pela Redução de Homicídios, divulgado hoje (15) pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça.

No estado do Ceará, as maiores taxas de homicídios dolosos são registradas nas cidades de Fortaleza (72,7), Maracanaú (73,7) e Caucaia (65,8), na região metropolitana.

Em números absolutos, o estado que registrou o maior número de assassinatos em 2014 foi a Bahia, com 5.450 (36 por 100 mil habitantes). Em seguida, estão Rio de Janeiro (4.610) e São Paulo (4.294), com taxas de 28 e 9,8 por grupos de 100 mil habitantes. No ranking absoluto, o Ceará aparece em quarto lugar. Santa Catarina, com 587 mortes, registra a menor taxa do país (8,7 homicídios por 100 mil habitantes).

“Para se ter uma noção comparativa no âmbito internacional sobre essa taxa, países com históricos de guerra civil, como o Congo (30,8), e com altas taxas de homicídio associadas ao narcotráfico, como a Colômbia (33,4), possuem taxas menores que as do Nordeste brasileiro”, informa o relatório.

Metodologia 

De acordo com o Ministério da Justiça, o diagnóstico fez um recorte com 80 municípios, localizados nas 26 unidades da Federação e a região administrativa de Ceilândia, no Distrito Federal, somando 81 localidades prioritárias de ação, agregando 22.569 registros de homicídios dolosos em 2014, o que representa, aproximadamente, 50% do total de assassinatos registrados no Brasil.

A intenção do ministério é que o estudo sirva de ferramenta de gestão para os estados no enfrentamento da criminalidade, observando as coincidências entre as altas taxas de homicídio e outros problemas sociais, econômicos e culturais. Os dados são do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp) de 2014.

Governo da Bahia emite nota

Esclarecimento sobre o relatório ‘Diagnóstico dos Homicídios no Brasil’

O relatório “Diagnóstico dos Homicídios no Brasil”, realizado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Sinesp) e divulgado nesta quinta-feira (15), coloca a Bahia em sexta posição, juntamente com a Paraíba, em relação ao número de homicídios a cada 100 mil habitantes registrados em 2014. Segundo o estudo, Bahia e Paraíba registraram 36/100 mil homicídios. Na frente desses dois estados estão Ceará (46,9), Sergipe (45), Pará (40), Mato Grosso (39,6) e Espírito Santo (39,3). A medotologia usada pelo relatório está em análise pela área técnica da Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP).

Na Bahia, houve queda de 10,5% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), no mês de setembro, em relação ao mesmo período do ano passado. O número de vítimas de homicídios caiu de 437, em 2014, para 391 entre os dias 1º e 30 do último mês. No acumulado de janeiro a setembro de 2015, o índice de CVLIs consolidado de Salvador, Região Metropolitana e interior caiu 3,6% na comparação com o ano anterior.

Confronto entre Diagnóstico de Homicídios e dados da SSP revelam avanços no combate à violência, diz deputada Fátima Nunes 

Na análise da deputada estadual, Fátima Nunes, vice-líder do Governo na Assembleia Legislativa, os dados do relatório Diagnóstico dos Homicídios no Brasil, referentes a 2014, divulgados nesta quinta-feira, dia 15, revelam avanços no combate à violência quando comparados aos indicativos da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia. Conforme a SSP, no acumulado de janeiro a setembro deste ano, o índice de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) consolidado de Salvador, RMS e interior caiu 3,6% na comparação com o ano anterior, observa.

Conforme ressalta a deputada, no último mês de setembro, a SSP registrou uma queda de 10,5% em todo o Estado no número de homicídios. Na Região Metropolitana e interior houve redução de 27%, e 12%. “O combate à violência não é instantâneo, começamos a colher frutos plantados no governo Wagner, como criação das Bases Comunitárias de Segurança, ações da PM de combate ao consumo de drogas, investimentos na aquisição de armas, viaturas e demais tecnologias adequadas à ação policial”, observa a líder. “Somente na capacitação de agentes, o Governo aplicou R$ 85 mil reais, além disso, nos oito anos da gestão passada, houve um avanço de mais 160% de investimentos em segurança, com relação às gestões anteriores”.

Fátima afirma ainda que o governo Rui Costa tem intensificado as ações de monitoramento, a exemplo das constantes blitze, aumento do policiamento nos bairros, com rondas a pé e/ou por veículos. “As ações do governo têm sido intensivas, mas os prefeitos também têm que fazer sua parte, oferecendo profissionalização, educação, lazer, cultura, esportes; precisamos criar mecanismos integrados entre governo e prefeituras para o enfrentamento deste problema social”, observa.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br