No Dia Mundial da Coluna, ortopedista lista principais vilões e dá dicas de como combater cada um deles

A estrutura que forma a coluna vertebral demanda um constante cuidado com a postura.

A estrutura que forma a coluna vertebral demanda um constante cuidado com a postura.

A coluna é tão importante que ganhou até um dia, 16 de outubro de 2015. No entanto, as pessoas tendem a não se preocupar com ela, até sentir alguma dor.  Muito mais do que alicerce, a coluna vertebral une as estruturas do corpo. Tamanha importância tem um preço: uma vez negligenciada, ela tende a adoecer de tal forma que pode levar até a incapacitação. “A nossa coluna começa a sofrer processos degenerativos a partir da segunda década da vida, devido à necessidade de compartilhar duas funções mecânicas antagônicas: sustentar o peso do tronco e ao mesmo tempo ser flexível”, explica o ortopedista e coordenador do Grupo de Cirurgia de Coluna Minimamente Invasiva do Hospital S. José da Beneficência Portuguesa (GCCMI), Dr. Pil Sun Choi.

Abaixo, o médico explica quais são os principais vilões da saúde da coluna e como evitá-los.

Estresse

O estresse faz uma revolução no corpo humano, pois gera uma situação de alerta no organismo. Durante uma situação de tensão, há grande liberação de substâncias excitatórias e inibitórias na circulação sanguínea para maximizar a defesa e fuga. Essa mobilização reduz a circulação em estruturas como a coluna, prejudicando a resistência e capacidade de regeneração desta estrutura. “Pessoas em situação de constante estresse tendem a apresentar dores articulares, na coluna e nos músculos. Pode-se afirmar que em 25% dos casos a causa única da dor na coluna é o estresse”, esclarece o ortopedista.

Com o ritmo de vida agitado, é difícil, mas não impossível evitar o estresse: adotar uma alimentação balanceada, dormir melhor e fazer exercícios físicos são essenciais, mas medidas simples como prestar atenção na respiração, manter uma boa autoestima e se desconectar de vez em quando também podem ajudar a acalmar a mente.

Sedentarismo

A vida, atualmente, é mais prática. O controle remoto evita a locomoção até a TV, a internet possibilita encontros virtuais e não estimula os presenciais, as funções no mercado de trabalho estão cada vez mais concentradas em ambientes de escritórios condicionados, sem grande necessidade de movimento. A falta de atividade física pode ser extremamente nociva para a coluna. Isso por que o sedentarismo interfere no metabolismo do disco intervertebral, que precisa de movimento para manter o equilíbrio vital das células. A equação é simples: a coluna vertebral é toda desenhada de forma a possibilitar o movimento. Na ausência deste, a tendência é a acomodação. E a acomodação, nesse caso, significa dor, muita dor.

Para evitar o sedentarismo, é óbvio: movimente-se. Toda atividade física é bem-vinda, mas algumas são mais interessantes, se a intenção for cuidar da coluna: caminhada, corrida, natação, dança, balé, musculação, equitação, ioga e pilates são alguns deles.

Má Postura

A estrutura que forma a coluna vertebral demanda um constante cuidado com a postura, na medida em que vícios posturais podem facilitar a ocorrência de deformidades, como hérnia de disco, escoliose, artrose, entre outros. Pessoas que, usualmente, adotam posturas inadequadas tendem a criar maus hábitos, pois o cérebro se acostuma com a posição errada. Vale lembrar também que o calçado errado, usado constantemente, pode prejudicar a coluna, assim como bolsas e mochilas pesadas.

Nesse caso, a dica é se policiar na hora de sentar, dormir e caminhar. Com o tempo, a postura adequada virará um hábito. Para dormir, prefira a posição de lado, já que nesse caso a coluna fica alinhada. Usar o travesseiro na altura adequada e outro entre os joelhos também são medidas interessantes. Ao sentar, lembre-se de que a postura ideal é aquela que mantém um suave S na coluna.

No caso dos acessórios, evite, sempre que possível, saltos muito altos ou utilize apenas durante poucas horas. Rasteirinhas também não são boas opções. Prefira sapatos que tenham 3 cm de salto. Já com relação às bolsas, o peso delas não deve ultrapassar 10% do peso corporal. As melhores para a coluna são as mochilas, já que distribuem melhor o peso. Se não for possível, alterne o tempo que carrega a bolsa em ambos os lados do corpo.

Outras publicações

Capacitação para enfermeiros aborda Saúde e Previdência Social em Feira de Santana Com o tema "Serviço Social, Saúde e Previdência", a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizaou, na manhã desta terça-feira (29/05/2012), uma capaci...
Salvador teve mais de 40 mil denúncias de som alto de janeiro a agosto de 2016 Clarice Saba é otorrinolaringologista, vencedora do X Jack Vernon Award. De janeiro a agosto deste ano, foram feitas 40.795 denúncias de poluição so...
Feira de Santana: Banco de Leite do Hospital da Mulher precisa de doação de frascos de vidro Banco de Leite do Hospital da Mulher precisa de doação de frascos de vidro. O estoque de frascos de vidro no Banco de Leite do Hospital da Mulher nã...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br