Município de Itabuna é obrigado a impedir trabalho infantil nos lixões

MPT atua com a finalidade de acabar exploração do trabalho infantil nos lixões.

MPT atua com a finalidade de acabar exploração do trabalho infantil nos lixões.

O município de Itabuna e o seu prefeito Claudevane Moreira Leite são obrigados a impedir imediatamente o acesso de crianças e adolescentes na área do lixão que atende a cidade, especialmente o trabalho de catação de resíduos, detritos e entulhos. A decisão é do juiz João Batista Sales Souza, da 3ª Vara do Trabalho de Itabuna, após pedidos feitos pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia. Na ação, a procuradora Ana Raquel Pacífico comprova que o município e seu gestor permitiam livremente o trabalho infanto-juvenil nos lixões da cidade. A multa por descumprimento da liminar é de R$5 mil por cada menor encontrado em situação de vulnerabilidade.

Os documentos reunidos pelo MPT revelam claramente que crianças e adolescentes trabalham em situação degradante no lixão onde o sistema municipal despeja os resíduos coletados. “Os gestores municipais se omitem, esquivando-se do enfrentamento da questão do trabalho infantil, quando demonstram desinteresse quanto ao desenvolvimento e aplicação de medidas capazes de corrigir a situação. O município violou as leis constitucionais que garantem a dignidade da pessoa humana e às normas da ordem jurídica quanto ao trabalho do menor de 18 anos”, avalia a procuradora Ana Raquel Pacífico.

A ação judicial pede que o município e o prefeito sejam condenados a pagar indenização por dano moral coletivo. Também solicita que as crianças e adolescentes que trabalham no lixão continuem a ser prejudicadas em sua saúde, sua formação e, principalmente, em sua dignidade de ser humano. A procuradora lembra que as atividades realizadas por esses jovens ferem a legislação. A Liminar determina que o Conselho Tutelar da cidade realize mensalmente inspeções no lixão para verificar a existência de crianças e adolescentes na coleta de lixo, encaminhando os relatórios ao MPT.

A maioria das crianças que trabalham na coleta de lixo reside nos arredores do lixão. Eles geralmente são levados por seus pais até lá sob a justificativa de que não têm com quem os filhos. É de responsabilidade do município promover políticas públicas que ajudem essas famílias a sair do patamar de miserabilidade, evitando assim o contato desses jovens com o árduo trabalho em lixões.

Outras publicações

Estudantes da rede estadual promovem Feira de Saúde e prestam serviços gratuitos em Itabuna Pelo quinto ano seguido, os moradores de Itabuna, no Território de Identidade Litoral Sul, serão beneficiados com serviços prestados gratuitamente p...
TCM rejeita contas da Prefeitura de Itabuna O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quinta-feira (18/11/2010), rejeitou as contas da Prefeitura de Itabuna, da responsabilidade de José Nilton ...
Itabuna ganha Vara de Execução Penal, sala de Depoimento sem Dano e reforma do fórum TCE se reúne com deputados para estabelecer nova relação de trabalho com a Assembleia. Em um só dia, a comarca ganhou uma vara de Execução Penal e M...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br