Ministro destaca compromisso da Bahia com a educação

Governador Rui Costa, se reúne com o ministro da educação Aloízio Mercadante e Osvaldo Barreto, secretário estadual de educação, onde discutiram a educação no Nordeste.

Governador Rui Costa, se reúne com o ministro da educação Aloízio Mercadante e Osvaldo Barreto, secretário estadual de educação, onde discutiram a educação no Nordeste.

O ministro da Educação, Aloízio Mercadante, foi recebido pelo governador Rui Costa na tarde desta terça-feira (27), no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador, e ressaltou a atenção que a Bahia tem dado ao setor e ao desenvolvimento da educação através do programa Educar para Transformar – Um Pacto Pela Educação. “Estamos conscientes de que o País precisa desenvolver uma educação de qualidade. A Bahia é um estado que tem muita consciência e que tem um compromisso com a educação e o MEC será parceiro em todas as suas iniciativas, inclusive no projeto Educar para Transformar”, falou o ministro.

Para o governador Rui Costa, a mobilização do estado em prol da Educação se deu com a união de forças entre o poder público estadual e as administrações municipais. “Na Bahia já temos conseguido avançar nos últimos anos com o aumento expressivo da oferta de vagas nas universidades federais, no instituto federal e no número de creches. Cabe ao estado oferecer ensino médio, mas não podemos ignorar a atenção à educação básica e por isso é que reunimos todas as forças, incluindo prefeituras, num verdadeiro Pacto pela Educação, para melhorar ainda mais esses índices”, falou o governador.

O encontro desta tarde reuniu também, além de governador e ministro, secretários da Educação dos estados do Nordeste que apresentaram ao ministro Aloízio Mercadante as demandas específicas da região. Após avaliação das dificuldades específicas dos nordestinos, o ministro ainda anunciou um programa voltado especificamente para o Nordeste, baseado no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa.

Programa para o Nordeste

No Brasil, de acordo com o ministro, 22% das crianças não aprendem a ler e escrever até os oito anos de idade e as regiões mais afetadas são as mais pobres. Por isso, entre as estratégias voltadas para o Nordeste, estão o fortalecimento da educação básica, como domínio da leitura, escrita e operações básicas de matemática, bem como a construção de creches e estruturas que possibilitem o desenvolvimento de crianças e jovens dentro das escolas.

O programa anunciado por Aloízio Mercadante é coordenado e gerido pelas secretarias estaduais de Educação, com o apoio necessário do MEC, que também são responsáveis pela elaboração de um material didático unificado. As secretarias ainda selecionarão escolas chamadas de “críticas”, aquelas que apresentam menor desempenho em avaliações do Ministério, para receberem apoio e funcionários contratados de universidades.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br