Governo da Bahia destina R$ 140 mil para obras de salvaguarda em terreiros de candomblé de Cachoeira e São Félix

Vista aérea de Cachoeira e São Felix.

Vista aérea de Cachoeira e São Felix.

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), irá investir R$ 140 mil em obras emergenciais de salvaguarda em dez terreiros de candomblé de Cachoeira e São Félix. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (16/10/2015), às 14h, na Flica, durante o lançamento do livro ‘Terreiros de Candomblé de Cachoeira e São Félix’. A publicação é uma adaptação do ‘Dossiê de Registro Especial’ que o IPAC elaborou para a proteção oficial desses terreiros localizados no recôncavo. A programação contou, ainda, com o anúncio do Mapa da Palavra.BA, projeto de mapeamento que vai incentivar e dar mais visibilidade à Literatura do estado.

“Como diz a música Milagres do Povo, de Caetano Veloso, o grande vencedor se ergue além da dor. E os vencedores somos nós, marcados para perder nossa identidade e esquecer nossa memória. Mas tudo isso ficou registrado na beleza e na força dos candomblés. Essa proposta de salvaguarda não é apenas para preservar e proteger essas casas, mas para garantir que essa cultura continue atravessando séculos e séculos nos alimentando e nos inspirando. Na condição de Governo do Estado, queremos garantir que o grande vencedor continue se erguendo além de qualquer obstáculo”, afirmou o secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal.

Os terreiros foram escolhidos por sua atuação e modo de fazer, particular e diferenciado, considerando o território de identidade do recôncavo. “Esse investimento será destinado a obras de salvaguarda emergenciais, como reformas de telhado, pintura e instalações elétricas”, afirma o diretor do IPAC, João Carlos Cruz de Oliveira no lançamento do livro, que contou com representantes das dez casas de matriz africana.

Mapa da Palavra

Mais cedo, às 10h, na abertura da mesa ‘Versos Diversos’, com as autoras baianas Clarissa Macedo e Rita Santana, foi lançado o Mapa da Palavra.BA. O objetivo do projeto – desenvolvido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), unidade da SecultBA – é identificar artistas da palavra nos 27 territórios de identidade da Bahia e ajudar a divulgar suas produções. “O Mapa surgiu a partir de discussões nas Conferências de Cultura e no Colegiado de Literatura, que mostraram a necessidade de conhecer melhor os artistas da palavra e sua realidade para, a partir daí, desenvolver políticas públicas e a cadeia produtiva”, explica a diretora da Funceb, Fernanda Tourinho. Escritores, cordelistas, cronistas, poetas e demais artistas da palavra podem participar do mapeamento até março de 2016, pelo site Mapa da Palavra. Após a fase inicial, o projeto prevê o lançamento de uma plataforma virtual.

Fabrincando

O lançamento do livro ‘Fabrincando’, de Tamires Lima, com oficina de produção de brinquedos da autora, foi um dos destaques do Espaço Educar para Transformar nesta sexta-feira. Foram lançados também os romances ‘Antônio Burokô’, de Domingos Ailton, e ‘Caixa de Sombras’, de Luiz Afonso Costa, além da Revista Bahia com História – 2 ª Edição. As atividades da SecultBA incluíram também oficinas, sarau de poesia, contação de histórias para crianças e a troca de livros da Campanha Leia e Passe Adiante. O público conferiu, ainda, um encontro com os poetas Wesley Correia e Ana Maria Gonçalves, que discutiram o tema Poéticas e Africanidades.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br