Feira de Satana: vereadores comenta denúncias sobre a SMTT

Vereador José da Costa Correia Filho (Correia Zezito): "Demerval foi capitão na ativa, mas é ilegal utilizar o nome de capitão na função que ele exerce na Prefeitura".

Vereador José da Costa Correia Filho (Correia Zezito): “Demerval foi capitão na ativa, mas é ilegal utilizar o nome de capitão na função que ele exerce na Prefeitura”.

Nesta quarta-feira (07/10/2015), em pronunciamento na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Correia Zezito (PTB) comentou as denúncias proferidas pelo edil David Neto (DEM) contra o chefe de fiscalização da Superintendência de Trânsito (SMT), Demerval Frutuoso.

“Só vou tentar colocar algumas situações que foram apresentadas pelo vereador David Neto. Demerval foi capitão na ativa, mas é ilegal utilizar o nome de capitão na função que ele exerce na Prefeitura”, disse.

Para Correia, a situação é grave e é preciso que o chefe do Executivo Municipal tome as devidas providências. “A situação é grave. Espero que o prefeito dessa vez observe. É um desgaste, um capitão com mais de 70 anos trabalhando em uma função dessa. Deveria tirar ele da função, pois é um desgaste com a comunidade, o desgaste com o povo está muito grande. A comunidade está cobrando dos vereadores, espero que o senhor tome essa decisão e deixe ele (Demerval) descansar na reserva”, recomendou.

Correia acredita que o secretário municipal de Transporte e Trânsito, Ebenezer Tuy, e o superintendente municipal de Trânsito, Francisco Júnior, fingem não perceber o erro.  “Discutiram na SMTT até uniforme. Na época que eu era policial, nós usávamos um lobo, agora é um leão. Mas tenho certeza que até com o uniforme o secretário Tuy fez vistas grossas. Tanto o major Tuy quanto o capitão Francisco Jr. fizeram vistas grossas, pois é uma missão árdua trabalhar nesta função, a gente não imagina o que é lidar com ligeirinho, até mesmo com o oficializado”, afirmou.

Partindo desse pressuposto, o vereador sugere que seja colocado um profissional de pulso na função em que hoje Demerval atua. “É preciso colocar alguém de pulso forte. Até este vereador o apelidou de ‘capitão do mato’, pois a abordagem com a população é rude. Já vimos soldado ser morto por fazer cumprir a lei que nós mesmos aqui aprovamos”, ressaltou.

Correia voltou a sugerir mudança na lei municipal que versa sobre multas de trânsito. “Temos que nos unir para tentar fazer um projeto, revogar a multa muito alta. Nós vereadores precisamos sentar e debater, se vier com um projeto desse sem sentar na mesa para conversar, vou votar contrário”, ressaltou.

David Neto denuncia irregularidades na SMTT

O vereador David Neto (DEM), nesta quarta-feira (07), durante pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, fez denúncias graves a respeito de um dos diretores da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), o capitão aposentado da Polícia Militar, Demerval Frutuoso.

Segundo o edil, as queixas a respeito do funcionário são frequentes. “Quero aqui retomar um assunto que constantemente tenho ouvido queixas, só queixas e reclamações aqui falando sobre a situação do senhor Demerval, da SMTT. Eu comecei a investigar e quero descobrir que blindagem é que ele tem. Será que aquele homem é uma caixa preta, porque ninguém consegue mexer naquele homem na SMTT. O homem bate em gente, atira em gente, parece que até uma polícia nova começou a criar”, criticar.

David Neto disse ainda que o Demerval tem agido de forma desrespeitosa. “Até em um ponto que criaram lá na SMTT, um cadeirante estacionou lá e ele foi lá com um canivete rasgou o pneu do veículo e depois esvaziou os outros três. Precisou os funcionários se reunirem para pagar ao cadeirante para abafar o caso. Isso é o mínimo que tem lá”, afirmou.

Em aparte, o vereador Ewerton Carneiro, o Tom (PTN), se pronunciou sobre o assunto.  “Se isso está acontecendo, isso é um absurdo, é uma falta de respeito com o povo de Feira de Santana. Se esse cidadão, que Vossa Excelência citou, estiver agindo deste jeito, acho que esta Casa não pode passar em branco. Esta Casa não pode deixar passar algo que eu considero um crime hediondo”, declarou o edil.

O vereador continuou as denúncias, afirmando que Demerval utilizava indevidamente veículo oficial do Município para interesses pessoais. “Inclusive, quero dizer o que o mesmo andou fazendo na Secretaria. O mesmo estava construindo uma casa em São Gonçalo, que o material da casa, e isso foi divulgado nas rádios Subaé e Sociedade, era levado no carro público da SMTT. O pessoal que praticava o transporte clandestino era usado como trabalho escravo de pedreiro e assistente de pedreiro na obra deste cidadão”, denunciou.

David Neto ressaltou que o gestor municipal não deve estar sabendo dessas irregularidades. “Olha quantas faltas aquele homem está cometendo lá dentro e parece que ninguém enxerga. Mas tenho certeza que não é o prefeito José Ronaldo, aí eu vou cair em cima do secretário Tuy, porque se tem alguma ilegalidade, irregularidades, ele deve ser responsabilizado”, disse.

Para o vereador, é preciso tomar providências. “Tiro em gente no meio da rua e nunca resolveram nada, abafaram. Ameaça a diversas pessoas, furar carro dos outros com canivete, envolvimento em trabalho escravo, falsidade ideológica, ele fica dizendo que é capitão, mas ele é da reserva. Ele hoje é policial da reserva, olha como ele coloca no papel, capitão Demerval”, pontuou.

O edil disse não ter medo de ameaças. “Eu não tenho medo de ameaças. Se ele vier, ele vai receber, ele sabe como funciona o sistema. Se vier é devolvido do mesmo jeito e eu não ando armado, não tenho medo de homem, mas não sou mais homem do que ninguém”, ressaltou.

O vereador informou ainda que um funcionário foi substituído por outro a mando de Demerval. “Trabalhava um rapaz chamado Dimas, e ele demitiu e colocou um cidadão por nome de Fabrini. Sabe quem é esse Fabrini? É um que acoberta o transporte clandestino, está do lado dele, é uma máfia”, avalia.

David Neto pediu atenção das autoridades. “Acho que o Ministério Público não está ouvindo esta Casa, a Polícia Civil não está ouvindo esta Casa falar. Tem que tomar uma posição. O Fabrini é ex-presidiário, é nomeado por ele, não pelo prefeito”, afirmou.  Em seguida, o edil questionou o que está se passando naquela Secretaria. “O que está acontecendo com aquela SMTT?”.

Em aparte, o vereador Marcos Lima (PRP) sugeriu afastamento do funcionário. “Desde já acho que esta Casa tem que pedir o afastamento de imediato deste funcionário da Prefeitura, pois as denúncias, infelizmente, são muitas”, cobrou o vice-líder do Governo.

Também em aparte, o vereador José Carneiro opinou. “Queria dizer que nós também, eu vereador José Carneiro, não concordo com as atitudes tomadas pelo capitão Demerval, mas estamos hoje com o papel de liderança do Governo e não podemos tomar uma atitude sem o consentimento do Governo. Vou levar ao conhecimento do prefeito, da situação que o capitão se encontra na questão da credibilidade com a população e com esta Casa, para que possa passar a mensagem do Governo com relação a essa situação”,  disse.

O presidente da Casa, Reinaldo Miranda, o Ronny (PSDB), comunicou que enviará um ofício ao Governo do Município sugerindo o afastamento do diretor. “Vou mandar um ofício, em nome da Casa, de que, por unanimidade, apenas com exceção do vereador José Carneiro, todos são favoráveis ao afastamento de imediato do senhor Demerval”, ressaltou.

Em aparte, a vereadora Neinha (PMN) repudiou a forma como os vereadores e a população são tratados por Demerval na SMTT.  “Quero sugerir uma moção de repúdio. Quando o vereador entra na Secretaria para falar com o capitão do mato, Demerval, ele ainda trata as pessoas mal e trata qualquer vereador mal. Eu já fui tratada mal por ele na Secretaria, não posso jamais julgar o secretário Tuy, mas quero dizer que Demerval trata vereador naquela Secretaria como nada. Se vereador eleito pelo povo é tratado daquela forma, imagine como é tratado o povo? Ele tem que sair”.

O vereador Alberto Nery (PT), também fazendo o uso do aparte, chamou atenção para suposto crime cometido pelo referido proposto da SMTT. “Na fala do nosso vereador David Neto diz que este diretor estaria assinando como capitão, ele não está lá na função de capitão, e sim de diretor. Ele não responde lá como capitão, isso é falsidade ideológica. Peço que encaminhem o documento para o Ministério Público”, solicitou.

O presidente Ronny, mais uma vez, interviu na discussão. “Temos tratado o Executivo com muito respeito e nós estamos em consenso pedindo o afastamento do senhor Demerval, iremos encaminhar o ofício, entendo que seremos atendidos, mas se porventura não formos atendidos, trataremos as Secretarias da mesma forma que estamos sendo tratados”, afirmou o edil.

Retomando o discurso, o vereador David Neto continuou as denúncias. “Geralmente, os funcionários da SMTT tinham um fardamento padrão, aprovado pelo secretário. Esse capitão chegou lá e criou um curso, ele não tem nem preparação para curso, mas criou uma empresa chamada Decati. Isso é crime, mesmo que ele saia de lá, ele precisa responder na Polícia pelos delitos. Criou a Decati e colocou como símbolo um leão. E cada fardamento requisitado por funcionários, ele vende a R$ 100,00”, informou.

Mais uma vez fazendo uso do aparte, o edil Isaías de Diogo (PPS) se pronunciou.  “Recordo-me do padrão de fardamento utilizado, e que o nome correto eram agentes fiscalizadores e ele colocou Decati. Ele mudou o padrão, o grupo especial que não está dentro do regime do Município. Acredito que o senhor, com toda essa documentação, precisa acionar o Ministério Público”, disse.

Para o vereador David Neto, o chefe do Executivo Municipal tomará as devidas providências. “Tenho certeza de que o prefeito vai tomar uma decisão agora”, afirmou.

Em aparte, o vereador Edvaldo Lima (PP) atribuiu responsabilidade ao Governo Municipal pela situação denunciada. “Quero parabenizar Vossa Excelência, diante de todas as denúncias que trazem a esta Casa e mostrou com provas, mostrou até uniforme dos agentes. Os senhores não entendem que o Governo do Município, o secretário, todos tinham conhecimento e fecharam os olhos, pois já foram feitas outras denúncias aqui e o Governo não tomou providências. Vai esperar acontecer uma miséria dentro da Secretaria para este Governo enxergar?”, indagou.

Respondendo à fala de Edvaldo, David declarou: “não vou concordar com a fala do senhor. Esta é a única Secretaria que tem problema dentro da gestão dele. O secretário parece que tem medo, está com o rabo preso, pois o secretário é um homem íntegro, mas está fechando os olhos. Esta Casa já não aguenta mais falar. É hora do Ministério Público reagir. Cadê a Polícia de Feira? O cara anda armado, intimida um, dá tapa em outro”, pontuou.

José Carneiro comenta sobre denúncias  

O vereador também se referiu às denúncias feitas pelo edil David Neto (DEM) contra o chefe de fiscalização da Superintendência de Trânsito (SMT), Demerval Frutuoso. “Queria também me referi à questão Demerval. Não posso como líder governista me pronunciar com relação à posição do Governo, sabe por quê? Porque é do conhecimento de todos que esta Casa tem se manifestado contra ações do senhor Demerval. Não posso admitir que deixem de reconhecer a seriedade com que trata o erário o secretário Tuy e o superintendente Francisco Jr.”, declarou.

Tom critica ação de guinchos na cidade

No uso da tribuna, na sessão ordinária desta quarta-feira (07), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Ewerton Carneiro, Tom (PTN),  tratou sobre a ação dos guinchos do Estado e do Município em relação aos veículos apreendidos na cidade.

“Estive na 3ª Ciretran e fui informado que o horário de funcionamento do pátio é das 8 às 16 horas. Se a pessoa chegar as 16:01,  ela não tira mais seu veículo e precisa pagar mais uma diária. O proprietário do carro ou moto tem que pagar R$ 260,00 do guincho e mais a diária. É uma quadrilha que está assaltando o povo. Isso é armação, é tudo premeditado, a 3ª Ciretran de Feira de Santana está focada em roubar o povo”, disse Tom.

De acordo com o edil, a Câmara Municipal de Feira deve adotar uma atitude em relação ao fato. “É momento desta Casa entrar com ação no Ministério Público e pedir mais esclarecimentos sobre o que está acontecendo,  porque tem gente ganhando dinheiro com isso. Agora,  eu entendo porque nas blitzes os guinchos chegam em 10 minutos e ficam lotados, e levam mais motos que carros, porque as motos cabem em maior quantidade”, pontuou.

Tom continuou fazendo um desafio aos colegas. “Se formos na rua aqui atrás veremos um engarrafamento de carros, mas nenhum responsável da Prefeitura está lá, mas aqui ao lado da Câmara tem sempre um. Isso fica comprovado com o que aconteceu com Lulinha há poucos dias. Estas pessoas não estão respeitando o Poder Legislativo”, disparou Ewerton Carneiro.

Em aparte, o parlamentar Correia Zezito (PTB) informou que dará entrara em um projeto de lei que dispõe sobre a obrigação de identificação dos prepostos da SMTT no fardamento. “Os PMs  e guardas municipais têm. Isso faz com que saibamos quem  nos notificou e depois até confirmarmos se ele realmente estava no plantão no dia. É preciso transparência nos agentes de trânsito e o Município tem verba para isso. Quero dizer também que não concordo com a norma de que o dono do veículo não pode conduzi-lo ao pátio, tem quer ser levado no guincho”.

De volta com a palavra, Tom disse que quando um veículo chega ao pátio, ele demora um tempo para entrar no sistema do Detran, o que aumenta a quantidade de dias que o carro ou moto permanece no pátio. “Assim o proprietário tem que pagar mais diárias. Estão usando de má fé para roubar o povo. Esta Casa não pode ficar só no discurso, isso é caso de polícia. Quando vocês perceberem a gravidade do problema vão concordar comigo”, avaliou.

Também em aparte, o edil David Neto (DEM) disse acreditar  que existe uma milícia na Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito. “As propinas foram multiplicadas na SMTT. É preciso reagir”, alertou.

Na sequência,  o líder do Governo na Casa, vereador José Carneiro Rocha (PSL), fez questão de dizer ao colega Tom que compreende seu pronunciamento, mas defende a conduta do superintendente de Trânsito, Francisco Júnior.

Para finalizar, Tom garantiu que não falou o nome de Francisco Júnior em seu pronunciamento, que citou apenas a questão dos guinchos. “Que saudade do saudoso Machado. Em todo esse tempo foi quem tratou bem as pessoas, eu não pensava em ser vereador e quando estava naquela Secretaria era tratado bem. Hoje, o vereador não tem contato com ninguém na SMTT. Estamos nos manifestando, mas o povo que te agir também”, findou.

Outras publicações

O “empresário” Wallas Vargas é preso em Feira, por atuar no comércio clandestino de munições Depósito clandestino de munição em Feira foi estourado pela Polícia Civil de Feira de Santana, ontem pela manhã (18/03/2010). O depósito se emcontrava...
Mercado de Arte Popular de Feira de Santana recebe atrações do projeto ‘O centro tem cultura’ Cantora Maryzélia apresenta show no Mercado de Arte Popular de Feira de Santana. A partir da segunda quinzena deste mês de outubro, e durante todo o...
Em Feira de Santana a Polícia Civil encontra 200 kg de maconha no bairro Feira X Durante operação realizada por investigadores da 1ª Coordenadoria da Polícia Civil e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos (DRFR), na manhã des...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br