TJBA lança projeto ‘Corregedoria: Juventude e Cidadania’

TJBA lança projeto de cidadania.

TJBA lança projeto de cidadania.

Uma entusiasmada plateia de estudantes de Ensino Médio do Colégio Luis Eduardo Magalhães, da avenida San Martin, em Salvador, recebeu a visita de juízes do Tribunal de Justiça da Bahia para a estreia do projeto ‘Corregedoria: Juventude e Cidadania”.

Sob aplausos de um eufórico grupo de alunos que se preparam visando às provas do Enem, os juízes foram apresentados pelo professor de Educação Física Roberto Monteiro, diretor da instituição de ensino que integra um total de 1.840 estudantes.

Acompanhada do superintendente de Gestão Informacional da Secretaria da Educação, José Sérgio de Oliveira Carvalho, representando o secretário Osvaldo Barreto, a juíza Márcia Denise Mineiro Sampaio Mascarenhas agradeceu a calorosa recepção.

Falando em nome do corregedor-geral da Justiça, José Olegário Monção Caldas, a juíza, coordenadora do projeto, destacou a importância da iniciativa, ao justificar o alcance social da integração entre o Poder Judiciário e a juventude baiana.

Recompensa

O juiz Alberto Raimundo Gomes dos Santos, responsável por abordar o tema ‘família e sociedade’, considerou exceções os casos de violência que se vê na televisão e considerou positiva a aproximação dos magistrados com os estudantes.

Já a juíza Jaqueline de Andrade Campos, ao falar sobre “Educação no Combate a Violência’, deixou os estudantes mais pensativos ao revelar que Salvador já registra, este ano, 823 crimes com morte, 14 mil roubos a transeuntes e 1.500 em ônibus.

O mais estarrecedor, para a magistrada, é que 9% das mortes foram causadas por adolescentes de 12 a 17 anos e 32% por jovens entre 18 e 23 anos. “Ou seja, 40% dos crimes com morte foram praticados por pessoas com menos de 23 anos”, disse.

Em seguida, a juíza Nartir Dantas Weber pediu aos jovens que evitem o uso de drogas. Com a experiência de seis anos na 1ª. e 2ª. Vara de Tóxicos, a magistrada conclamou os jovens a dedicarem-se a estudar a fim de evitar “destruírem-se a si mesmos e aos pais”.

A juíza Maria do Socorro Santa Rosa de Carvalho Habib, afônica, pediu a palavra para prometer voltar ao colégio a fim de falar sobre ‘Tráfico de Mulheres e a Repercussão na Sociedade’. Por fim, a titular da 2ª. Vara de Família da Comarca da Capital, juíza Darilda Oliveira Maier informou os jovens sobre os efeitos jurídicos da separação.

Convívio

De caráter didático, e com objetivo educacional e instrutivo, o projeto ‘Corregedoria: Juventude e Cidadania’ será desenvolvido, inicialmente, nas escolas de rede pública do estado e município.

Os temas para debate com os jovens estudantes são democracia, cidadania, acesso à justiça, estrutura do Poder Judiciário e relações familiares. As palestras serão proferidas por magistrados do Tribunal de Justiça da Bahia.

Além de divulgar o trabalho do juiz, o estudante terá conhecimento de como funciona o Poder Judiciário, e como se dá o julgamento de conflitos, bem como as possibilidades de mediação e conciliação.

Outras publicações

Bahia – Eleições 2014: ex-governador Paulo Souto aparece como pré-candidato ao lado de João Gualberto do PSDB João Gualberto e Paulo Souto. Candidatura ao governo do estado reúne DEM e PSDB. “O Carnaval de 2014 marcou o início de um ciclo de transformações q...
Indústria para beneficiar banana da Terra na Bahia A empresa venezuelana Alina do Brasil instalará em Wenceslau Guimarães, no baixo sul da Bahia, uma indústria para beneficiar a banana da terra. O muni...
Pesquisa seleciona farinha de copioba da Bahia preferida pelo consumidor Farinha de copioba. Ser fina, crocante, levemente amarelada e de sabor diferenciado, agradável ao paladar. Os apreciadores de farinha de mandioca lo...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br