Projeto de Audiência de Custódia agiliza prisão em flagrante na Bahia

Rui Costa,  Ricardo Lewandowski e  Eserval Rocha.

Rui Costa, Ricardo Lewandowski e Eserval Rocha.

A Bahia aderiu, na manhã desta sexta-feira (28/08/2015), ao Projeto de Audiência de Custódia, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que, entre outras medidas, exige a apresentação de presos em flagrante a um juiz, na presença de um advogado ou defensor público, no prazo de 24 horas depois de terem sido detidos. A iniciativa permite mais agilidade na análise da legalidade e das necessidades de se manter a pessoa detida presa e decidir sobre o relaxamento da prisão ou prisão preventiva, liberdade provisória ou medidas cautelares.

O termo de adesão foi assinado pelo governador Rui Costa em cerimônia com a presença do presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, e do presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), o desembargador Eserval Rocha, na sede do TJ-BA, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

O objetivo é reduzir a quantidade de presos provisórios, diminuindo a população carcerária e os gastos com a manutenção dos que ficariam detidos desnecessariamente. Lewandowski destacou  disse que, com a medida, tem havido em outros estados 50% menos  prisões provisórias e que até o final deste ano as audiências devem evitar o encarceramento de 120 mil brasileiros. “Essas pessoas respondem aos seus processos com medidas alternativas ao encarceramento. Os presídios devem ser reservados aos criminosos violentos e que oferecem risco à sociedade. Não podemos trabalhar para alimentar a cadeia e o sistema carcerário, aprisionando pessoas que cometeram crime de menor potencial ofensivo e que podem cumprir suas obrigações de outra maneira”.

Após a assinatura do termo, o ministro Ricardo Lewandowski recebeu a Medalha Mérito da Magistratura da Bahia, honra concedida a personalidades que tenham prestado importantes serviços diretos ou indiretos ao TJBA.

Outras publicações

Estado deve criar grupo para identificar ossadas de desaparecidos , defende procurador O Estado precisa ter um grupo permanente de trabalho – e com tecnologia - para identificar ossadas de desaparecidos políticos, defende o procurador da...
Baianos têm projetos selecionados pela ‘Social Good Brasil Lab’ A empreendedora social Mayra Mezzomo, 27 anos, faz parte da dupla de Guanambi, no sudoeste do estado, que idealizou um aplicativo para contribuir com...
Advogado quer segmentos sociais em Conselhos Estadual de Entorpecentes da Bahia A constituição de conselhos estaduais com visões humanísticas proporciona à sociedade discussões multidisciplinares na promoção de políticas públicas ...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br