Polícia Federal pede ao Supremo autorização para ouvir ex-presidente Lula e ex-ministros

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Universidade Nacional de La Matanza e da Universidade Metropolitana da Educação e do Trabalho. A cerimônia reuniu mais de três mil pessoas no município de La Matanza, na província de Buenos Aires. Agora, o ex-presidente soma 11 títulos honoris causa de universidades argentinas, e 30 títulos honoris causa em universidades em todo o mundo. Enquanto recebia o diploma a PF requisitava autorização da justiça.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Universidade Nacional de La Matanza e da Universidade Metropolitana da Educação e do Trabalho. A cerimônia reuniu mais de três mil pessoas no município de La Matanza, na província de Buenos Aires. Agora, o ex-presidente soma 11 títulos honoris causa de universidades argentinas, e 30 títulos honoris causa em universidades em todo o mundo. Enquanto recebia o diploma a PF requisitava autorização da justiça.

A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para tomar os depoimentos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ex-ministros e investigados na Operação Lava Jato ligados ao PP, ao PMDB e ao PT. A solicitação consta do ofício no qual a PF pede mais prazo ao ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no STF, para dar continuidade a um dos inquéritos da operação.

Antes de tomar uma decisão, Zavascki deverá pedir parecer do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sobre a vialibilidade dos depoimentos.

Segundo a PF, o ex-presidente não é investigado na Lava Jato, mas o depoimento é necessário, diante das acusações feitas por diversos delatores, que envolvem parlamentares que fizeram parte da base de apoio ao governo Lula. “Faz-se necessário trazer aos autos as declarações do então mandatário maior da nação, Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de que apresente a sua versão para os fatos investigados, que atingem o núcleo político-partidário de seu governo”, diz a Polícia Federal no ofício.

Com a prorrogação do inquérito, a PF também pretende ouvir executivos de empresas que fizeram doações a parlamentares dos três partidos, do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte; de Maria Cléia Santos, assessora do senador Valdir Raupp (PMDB-RO), além do presidente do PT, Rui Falcão, e do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli.

A Polícia Federal pediu também que sejam ouvidos a ex-ministra da Secretaria de Relações Institucionais Ideli Salvatti, o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Gilberto Carvalho e o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br