Feira de Santana: vereadores comentam sobre contrução do BRT em Feira de Santana

Luiz Augusto de Jesus (Lulinha): “A empresa que está aí, ela ganhou uma licitação, ela veio trabalhar, os equipamentos estão aí, mas um grupo de 18 pessoas está empatando o trabalho".

Luiz Augusto de Jesus (Lulinha): “A empresa que está aí, ela ganhou uma licitação, ela veio trabalhar, os equipamentos estão aí, mas um grupo de 18 pessoas está empatando o trabalho”.

A implantação do Transporte Rápido por Ônibus (BRT) em Feira de Santana voltou a ser alvo de discurso do vereador Luiz Augusto de Jesus – Lulinha (PEN), na sessão da Câmara Municipal desta terça-feira (08/09/2015).

Ele contou que ouvindo um programa de rádio local, nesta terça-feira (08/09/2015), tomou conhecimento de que há 18 manifestantes acampados, há três dias, na avenida Getúlio Vargas, impedindo o adiantamento das obras do BRT de Feira de Santana. Ressaltou que até a diretora do Sindicato APLB Feira, professora Marleide Oliveira, está participando do protesto. Lulinha classificou como um absurdo essa manifestação.

“A empresa que está aí, ela ganhou uma licitação, ela veio trabalhar, os equipamentos estão aí, mas um grupo de 18 pessoas está empatando o trabalho. Não foi nem a Justiça que veio embargar, são 18 pessoas, inclusive Marleide participando disso, que deveria cuidar e resolver os assuntos dos professores, em vez de estar lá dormindo, impedindo o trabalho de ser executado do BRT, que é uma obra que já está consagrada, é uma obra para o desenvolvimento da nossa cidade”, disse.

Na oportunidade, Lulinha relatou que, ontem, observou a situação das árvores da avenida Getúlio Vargas. “Muitas daquelas árvores já estão morrendo, porque não aguentam muito tempo. Inclusive, há poucos dias, caiu uma árvore em cima de dois carros. Se uma árvore daquela  matasse uma pessoa, a responsabilidade seria de quem? Do Governo Municipal”, avalia.

O edil salientou que também ouviu uma entrevista de um engenheiro no programa do radialista Carlos Geilson, que informou que o tempo de sobrevivência da maioria das árvores que estão na avenida Getúlio Vargas é de apenas 50 anos. “A partir de 50 anos, elas começam a cair, apodrecer, como já está acontecendo com as árvores na avenida”, afirmou.

Em sua opinião, a retirada de árvores é necessária para a implantação do projeto BRT. “O que não pode é empatar o desenvolvimento. Estamos vivendo uma crise onde há várias pessoas querendo trabalhar: pedreiro, carpinteiro, motorista, ajudante, estão todos aí na frente da empresa querendo trabalhar, mas os manifestantes estão empatando. O que não pode é um botijão de gás custar R$ 55,00 e as pessoas não terem esse dinheiro para pagar”, pontuou Lulinha, externando sua indignação com o movimento contrário ao BRT.

Alberto Nery Protesto contra BRT

Durante o discurso, o petista comentou também a fala dos vereadores Lulinha (PEN) e Marcos Lima (PRP) a respeito do protesto contra o BRT de Feira de Santana, feito por um grupo de pessoas que estão acampadas na avenida Getulio Vargas.

“Quero lamentar, porque se algumas pessoas se manifestam contra algo do Governo Municipal é política, é politicagem. As pessoas não têm o direito de entender, achar, mas apenas dizer amém ao rei. É triste ouvirmos um discurso como este”, queixou-se.

Alberto Nery citou ainda um vídeo do cantor Fábio Junior em que o artista critica a situação política do país. “Ontem, a maioria do país viu um cantor como Fábio Jr, de forma desrespeitosa, se dirigir a um ex-presidente do país. As pessoas têm o direito de criticar, para aquelas que nasceram para falar amém, paciência”, disse.

Marcos Lima destaca indicações e critica manifestação contra o BRT

Em pronunciamento na Câmara Municipal de Feira de Santana, na manhã desta terça-feira (08), o vereador Marcos Lima (PRP) destacou duas indicações, de sua autoria, em prol do distrito Maria Quitéria, e criticou um movimento contra o BRT, organizado por um partido político.

Com relação à zona rural, na primeira indicação, o edil solicita do poder público a construção do mercado municipal do distrito Maria Quitéria, numa área institucional, situada no fundo da biblioteca.  Já a segunda solicitação tem como objetivo a pavimentação da estrada do povoado de Carro Quebrado, que liga várias comunidades do referido distrito.

“Com certeza, o prefeito José Ronaldo vai olhar com carinho e vai trazer esse progresso para o distrito Maria Quitéria”, anseia Marcos Lima.

Manifestação contra o BRT 

Mudando de assunto, o vereador disse que, na avenida Maria Quitéria, observou um movimento contra a implantação do BRT de Feira de Santana, organizado pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), que tem como pré-candidato a prefeito o professor Jhonatas Monteiro. “Então, a gente vê que não é um movimento da sociedade, é um movimento político que estão utilizando para barrar o BRT; é algo da oposição, usando crianças e senhoras para poderem denegrir a imagem do BRT”, avalia.

Para Marcos Lima, apesar dos protestos,  “Feira de Santana, provavelmente, será a única cidade do Norte-Nordeste que vai ter BRT. Com certeza, o povo de Feira de Santana vai ganhar essa obra, que trará melhorias para a nossa cidade”, findou.

José Carneiro BRT 

Mudando de foco, José Carneiro falou sobre os protestos que vêm sendo feitos contra o BRT. “Feira, comprovadamente, é a cidade com maior número de ambientalistas já detectado nos últimos tempos. Comprovadamente, pessoas leigas, que não conhecem de perto a realidade, querem se expressar livremente, tirando uma de doutores sobre a retirada de árvores na cidade”, observa.

Para o líder do Governo, as manifestações têm cor partidária. “As manifestações hoje ocorridas são manifestações coloridas, que têm cores partidárias. A política mesquinha da nossa cidade está prevalecendo. Por que ninguém se amarrou nas árvores nativas da avenida Nóide Cerqueira? Porque a cor partidária não estava ali”, avalia.

O vereador disse não entender o porquê deste comportamento. “Não consigo entender por que Feira de Santana, uma cidade com mais de 600 mil habitantes, ainda prevalece a política mesquinha, da cor partidária, do quanto pior melhor? Não entendo por que as pessoas querem chegar ao poder querendo a miséria dos que estão no poder. Essa política não podemos concordar, essa política do não reconhecimento, apenas é a política de apontar os erros, fazendo críticas destrutivas. Alguns, na sua maioria, não fazem um elogio quando o Governo acerta. Essa política que não aceito e não quero para a nossa cidade. Nosso Governo não é perfeito, como o governo Rui Costa não é, como o governo Dilma não é”, pontuou.

Em aparte o vereador Edvaldo Lima (PP) disse apenas fazer críticas verdadeiras. “Este vereador quando faz críticas é a crítica verídica. Fiz uma crítica referente à rua Coruja, que há mais de três meses peço melhorias e não se resolve o problema. Não são críticas inventadas, por isso continuarei fazendo minhas críticas”, afirmou o oposicionista.

Novamente com o uso da palavra, José Carneiro declarou: “O senhor (Edvaldo) criticar um Governo porque ele não atendeu seu pedido de tapar um buraco, o senhor tem sido um verdadeiro crítico, mas quer tirar proveito das suas solicitações. Suas indicações não são prioridades, e sim da população. O senhor tem o costume de querer se tornar o secretário de Planejamento de Feira; tudo que o Governo faz, o senhor já foi o autor e já fez indicação”, criticou.

Também em aparte, o vereador Beldes Ramos (PT) opinou sobre os protestos contra o BRT. “Isso é o exercício da democracia, porque foi solicitado do Ministério Público que pudesse ouvir as pessoas. Pela pesquisa, questionou-se se as pessoas preferiam que o BRT fosse na Getúlio, e quase 40% opinou que fosse feito na avenida Presidente Dutra, apenas 20% preferiram na Getúlio. O grupo que Vossa Excelência quer descaracterizar, muitos não tem associação partidária”, afirmou o petista, acrescentando que o Governo Municipal precisa dialogar mais.

Retomando o discurso, José Carneiro lembrou as audiências realizadas que foram realizadas para discutir o projeto do BRT. “Se eu não tivesse memória, ia acreditar no vereador Beldes. Mas o senhor esqueceu que o Governo realizou, a pedido, inclusive do Ministério Público, audiências públicas e debateu com a população. O Governo Municipal realizou e promoveu um debate sobre o assunto”, informou.

O vereador citou ainda que a obra já foi realizada em grandes cidades, como Curitiba e Uberlândia. “Feira também é uma grande cidade, mas vemos pessoas com discursos políticos”, ressaltou o governista. José Carneiro também destacou que o Plano Diretor de Feira de Santana será atualizado.

Novamente, em aparte, o edil Beldes Ramos rebateu a informação a respeito do Plano Diretor. “Plano Diretor depois da obra feita é um grande equívoco. As audiências públicas precisam ter a publicização. Gostaria de saber quem ficou sabendo? Pois, lá só tinha funcionários da Prefeitura”, afirmou o petista.

Outras publicações

Após denúncia feita pelo Jornal Grande Bahia, PMFS apresenta investimentos realizados na área cultural em 2009 Em recente entrevista concedida ao JGB o produtor cultural, economista e publicitário, Edson Vieira Porto que atuou no setor de fiscalização ambiental...
Idoso atropelado por motocicleta na Avenida Maria Quitéria em Feira de Santana Genilson Silva Lima, 22, anos, morador do conjunto Morada das Arvores guiava uma motocicleta na noite desta segunda-feira (25/06/2012), segundo a ocor...
Nota de esclarecimento do MOC (Movimento de organização comunitária). Sobre a resportagem publicada ontem (03/08) no jornal A Tarde Jornal A Tarde publica matéria sobre a licitude de convenios celebrados entre o MOC e Governos do Estado. MOC emite nota oficial. A edição de A TARDE...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br