Feira de Santana desponta como polo de investimentos da Sedur

Vista aérea da Avenida Noide Cerqueira em Feira de Santana.

Vista aérea da Avenida Noide Cerqueira em Feira de Santana.

Praça da Avenida Noide Cerqueira em Feira de Santana.

Praça localizada na Avenida Noide Cerqueira em Feira de Santana.

Hoje, Feira de Santana, a Princesinha do Sertão, comemora 182 anos de emancipação política. E motivos não faltam para comemorar. A segunda cidade mais importante da Bahia é polo de investimentos do Governo Estadual, via Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). Ações de requalificação urbana e infraestrutura, obras de pavimentação, saneamento e iluminação pública, entregas do Minha Casa, Minha Vida fazem jus à importância política e econômica da cidade, que é considerada estratégica para toda Região Nordeste.

Uma das obras de maior visibilidade agrega benefícios econômicos e sociais, além de impulsionar o turismo local. Trata-se da requalificação do Parque Lagoa Grande.

Orçada em mais de R$ 40 milhões, a obra irá beneficiar cerca de 10 mil pessoas e inclui a urbanização de toda a localidade da Lagoa, que abrange os bairros da Rocinha, Caseb, Parque Getúlio Vargas e Ponto Central. Ou seja, vai muito além da questão turística.

As intervenções irão proporcionar a implantação da rede de esgotamento sanitário, iluminação pública, melhorias habitacionais e a construção de novos imóveis para abrigar as famílias do entorno da Lagoa, além de prevenir e coibir as eventuais inundações, causadas pelas chuvas.

O lazer e a diversão estão garantidos com a construção de ciclovia, pista de cooper, quadras poliesportivas, parque infantil, praça e quiosques. O projeto ainda prevê a instalação de uma Base da Polícia Militar para assegurar segurança aos usuários do Parque e aos próprios moradores.

As obras estão previstas para serem concluídas no primeiro semestre de 2017. É investimento estadual em favor do desenvolvimento da principal cidade do interior baiano. E aliando resgate cultural com inclusão e mais cidadania.

Mais moradia

Inclusão e redução da desigualdade social também são objetivos centrais do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). A Bahia é líder em lançamentos do Programa, criado em 2009. E Feira de Santana é uma das cidades mais agraciadas.

O número de beneficiados na cidade ultrapassa 11 mil famílias, das quais 6 mil de 2013 para cá. Em “papel-moeda”, isso representa um investimento de mais de R$ 555 milhões, dos quais mais de R$ 2 milhões de contrapartida do Governo do Estado, via Embasa.

A previsão é que, até março de 2016, o MCMV beneficie mais de 18 mil famílias – somando as unidades já entregues às que ainda serão finalizadas. De acordo com dados da própria Prefeitura de Feira, isso representa mais de 50% da demanda por moradia do município.

Redução das desigualdades

De acordo com estudo da consultoria Prospecta Inteligência Imobiliária, Feira de Santana está entre as 100 melhores cidades brasileiras, com menos de um milhão de habitantes, para investir em imóveis. O município ocupa a 44ª posição nacional e a 7ª do Nordeste.

Um dos critérios primordiais levados em consideração no estudo é a capacidade financeira da população para comprar imóveis. Em outras palavras, a pesquisa evidencia que as ações do Governo do Estado têm influenciado, diretamente, na redução das desigualdades sociais do município.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br