Dez condenados na Lava Jato terão que devolver R$ 66 milhões à Petrobras

Ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

Ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

A decisão da Justiça Federal do Paraná  que condenou o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque, e mais oito pessoas, também determinou a devolução de mais de R$ 66,8 milhões à estatal.

Segundo a sentença do juiz Sérgio Moro, o valor é considerado o “mínimo necessário para indenização dos danos decorrentes dos crimes” cometidos em contratos com consórcios. O valor de ressarcimento será dividido entre Duque, Vaccari, Adir Assad (acusado de ser um dos operadores do esquema de desvios na Petrobras), além de Sônia Mariza Branco e Dario Teixeira Alves Júnior, responsáveis por parte dos pagamentos de propina.

“O patrimônio dos condenados, ainda que sem origem criminosa comprovada, fica sujeito ao confisco criminal até completar o montante de R$ 66.817.956,00. O patrimônio dos condenados responde na medida de sua participação nos delitos”, diz um trecho da decisão de Moro, segundo o qual o dinheiro fruto de corrupção não foi encontrado ou está no exterior.

O valor foi calculado com base na propina de R$ 23,3 milhões, paga à diretoria de Abastecimento da Petrobras para contrato com os Consórcios Interpar e CMMS, e na propina paga à diretoria de Engenharia e Serviços da Petrobras para contratos com os Consórcios Interpar, CMMS, Gasam e com a Construtora OAS no Gasoduto Pilar Ipojuca.

Também condenados na decisão de ontem (21/09/2015), o ex-executivo da empresa Toyo Setal Augusto Ribeiro de Mendonça Neto; o ex-gerente de Serviços da Petrobras; Pedro Barusco; Mario Frederico de Mendonça Goes, apontado como operador do esquema; além do ex-consultor da Toyo Setal, Júlio Camargo, e o doleiro Alberto Yousseff, já haviam firmado acordos de delação premiada com a Justiça. Como cada acordo fixa um valor específico de ressarcimento, eles não estão incluídos na devolução dos R$ 66 milhões.

*Com informação da Agência Brasil

Outras publicações

Juiz envia ao STF documentos da Lava Jato que citam senadora Gleisi Hoffmann Senadora Gleisi Hoffmann é citada na Lava Jato. O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância,...
Investigação da Petrobras para apurar efeitos da corrupção pode levar três anos Presidenta da Petrobras, Graça Foster, estima em três anos o tempo necessário para apurar fraudes na petrolífera. A investigação para apurar os efei...
Operação Lava Jato | Termo ‘Máfia’ é citado por Meire Poza Meire Bonfim Poza: "Aqui é como a máfia, quem entra não sai". Em depoimento a parlamentares, contadora diz ter sofrido ameaças de Alberto Youssef O...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br