Deputado José de Arimateia participa do debate sobre política estadual de incentivo à doação de órgãos

Debate sobre Política Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos ocorreu em Salvador.

Debate sobre política estadual de incentivo à doação de órgãos ocorreu em Salvador.

Deputado José de Arimateia participa do debate sobre Política Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos.

Deputado José de Arimateia participa do debate sobre Política Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos.

Como parlamentar e incentivador da doação de órgãos, o vice-presidente da Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado estadual José de Arimateia (presidente do PRB de Feira de Santana), participou na manhã desta terça-feira (22/09/2015), no auditório da Secretaria de Educação do Estado, do lançamento da Política Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos, Tecidos e Transplantes. O programa tem o objetivo de diminuir as filas de espera por transplantes e prevê investimentos de R$ 10.145.998, 20, com a ordem de doação, captação e assistência pré e pós-transplante.

O deputado Arimateia, que já realizou diversas Audiências Públicas para debater o tema em questão, além de ter sido, no ano passado, contemplado com o troféu “Amigos do Transplante”, em sua gestão como presidente da Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia, classificou a iniciativa da Política Estadual como grandiosa. “O programa surgiu numa hora importante, porque hoje, infelizmente, a Bahia figura entre os estados que menos transplantam. Agora, surge uma esperança para os mais de dois mil baianos que aguardam um transplante para continuar vivendo”, realçou Arimateia.

De acordo com informações do secretário Estadual de Saúde, Fábio Vilas Boas, o estado da Bahia segue em último lugar no ranking de transplantes de fígado e em penúltima posição nos procedimentos renais. O titular da pasta disse que, a cada 100 pessoas com morte encefálica, 10 são diagnosticadas e apenas três transplantes são efetivados. “Acredito que todo esse problema é grande parte por conta da recusa familiar existente, pela falta de conhecimento sobre o assunto”, opinou.

Em seu pronunciamento, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou que a meta do Governo do Estado com a Política Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos é primeiro estar melhorando a qualidade de vida dos pacientes, segundo, salvar vidas e depois, reduzir custos. As metas do governo, no primeiro ano do programa, são de aumentar em 300% a doação e o transplante de córnea, em 100% a doação e transplante de órgãos sólidos e em 30% o número de Coordenações Intra-Hospitalares de Doações de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTTs).

Num discurso emocionado, o transplantado e presidente da Associação dos Pacientes Renais Crônicos do Estado da Bahia, José Vasconcelos de Freitas, fez um apelo ao governador Rui Costa, para que o transplante seja encarado sempre como uma prioridade em sua gestão. “Eu me transplantei para ter forças para lutar pelos pacientes que estão na cadeira de hemodiálise”, afirmou.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br