Walter Pinheiro defende agenda no Senado para retomada da economia

Walter Pinheiro: "“Eu só acredito que vai dar liga quando a gente botar os interesses de estados e municípios para casarem com os interesses da União".

Walter Pinheiro: ““Eu só acredito que vai dar liga quando a gente botar os interesses de estados e municípios para casarem com os interesses da União”.

Em pronunciamento no plenário do  quarta-feira (19/08/2015), o senador Walter Pinheiro (PT/BA) destacou que a agenda de proposições apresentadas pelo Senado Federal pode ser a alternativa para a retomada da economia do País. Ele discorda daqueles que dizem que as propostas fazem parte da pauta do PMDB e do presidente do Senado, Renan Calheiros, lembrando que a agenda proposta traz algumas iniciativas legislativas debatidas desde 2011.

“Por que o Senado não pode propor alternativas? O que o Executivo mandou nós julgamos insuficiente para responder a este momento. Não se trata de enfrentamento com o Executivo, isso se trata de cumprir o papel do Senado da República, de ir ao encontro do desejo, das aspirações e da pauta de estados e municípios”, disse.

Pinheiro defendeu a concentração de esforços na situação dos estados e municípios na discussão do pacto federativo, lembrando que as propostas sobre o tema são mais que meras reações a movimentos políticos ou a crises momentâneas.

“Eu só acredito que vai dar liga quando a gente botar os interesses de estados e municípios para casarem com os interesses da União. Ora, se a gente só vai votar a pauta do [Joaquim] Levy que tem a ver com a União não vai dar liga, até porque cada senador veio para cá para representar o seu estado. Portanto, só vai ter saída para o Brasil quando eu conseguir resolver os problemas do meu estado, quando a gente conseguir resolver o problema do povo brasileiro”, afirmou.

O senador destacou ainda que muitas das iniciativas listadas pela Agenda do Senado já estão sendo analistas pela Comissão do Pacto Federativo, recebendo contribuições dos membros do colegiado, a partir das demandas apresentas nas reuniões com prefeitos e governadores, que ocorreram no Senado.

Pinheiro encerrou o discurso ressaltando que o papel do parlamentar é ajudar o Executivo e não apenas sinalizar com apoios, sem compromisso. “Não estou batendo em governo. A nossa obrigação, inclusive, é cobrar de governo. Nós não viemos para cá para ficar iguais a cordeirinhos ou talvez até levantadores de mão ou apertadores de botão em painel. Eu não vim aqui para levantar a mão….Eu acho que mais do que um desabafo, na realidade, eu estou chamando este tema para entender quais são as nossas responsabilidades. Então, portanto, falo aqui a partir exatamente do que eu acho que tenho como compromisso com o povo do meu Estado e até com o povo do Brasil”.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br