Vice-presidente Michel Temer diz que reconhecer crise ajuda a superá-la

Michel Temer: "Essas pesquisas, muitas vezes, são negativas para logo depois se tornarem positivas. Aliás, a presidenta Dilma tem feito esforço extraordinário, tem praticado os melhores gestos".

Michel Temer: “Essas pesquisas, muitas vezes, são negativas para logo depois se tornarem positivas. Aliás, a presidenta Dilma tem feito esforço extraordinário, tem praticado os melhores gestos”.

Um dia depois de fazer apelo ao país pela união para superar a crise econômica e política, o vice-presidente e articulador político do governo, Michel Temer, voltou a defender hoje (06/08/2015) que é preciso continuar o diálogo com o Congresso Nacional, cuja pauta de votações inclui medidas que aumentam os gastos públicos.

“É preciso que alguém faça este apelo, e eu estou tomando, por isso, a liberdade de fazê-lo em nome do governo. Nós vamos continuar dialogando, não vamos nos impressionar com o dia de ontem e com o dia de hoje. Agora, o alerta era indispensável. Se nós começarmos a dizer que não há crise de maneira nenhuma, não ajudamos a superá-la. E a crise econômica muitas vezes ocorre e é logo superada. Uma eventual crise política no Congresso é imediatamente superada ou será superada ao longo do tempo”, disse, em entrevista, após palestra no Centro Universitário de Brasília (Uniceub) sobre governabilidade e governança.

Apesar do apelo feito ontem pelo vice-presidente, a Câmara aprovou na madrugada de hoje (6), em primeiro turno, a proposta de emenda à Constituição (PEC 443/09), que vincula os salários de advogados públicos e delegados de polícia à remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que é R$ 33,7 mil. Durante todo o dia, governistas tentaram evitar a votação, argumentando que a medida criará impacto de R$ 2,4 bilhões no Orçamento da União, segundo cálculos do Ministério do Planejamento.

Sobre a popularidade da presidenta Dilma Rousseff, Temer afirmou que essas avaliações são “cíclicas”. Segundo pesquisa Datafolha divulgada hoje, feita nos dias 4 e 5 de agosto, 71% dos entrevistados consideram o governo ruim ou péssimo, enquanto 8% avaliam a administração da petista como ótima ou boa.

“Essas pesquisas, muitas vezes, são negativas para logo depois se tornarem positivas. Aliás, a presidenta Dilma tem feito esforço extraordinário, tem praticado os melhores gestos. Ela reuniu governadores para revelar a função federativa, reuniu lideranças na Câmara, no Senado. Tem feito um trabalho excepcional para manter a tranquilidade institucional no nosso país. Então, a pesquisa de hoje não será a de amanhã. Essa pesquisa se reverterá, a presidenta Dilma terá um apoio extraordinário da população brasileira”, disse.

Na semana passada, Dilma reuniu todos os governadores no Palácio da Alvorada para pedir apoio no Congresso a fim de tentar evitar a aprovação de medidas que impactam as contas públicas.

*Com informação da Agência Brasil

Outras publicações

Colaboração para enfrentamento da violência é tema de reunião entre ONU e presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (do lado direito da bandeira do Brasil), atual presidente da Câmara dos Deputados, conversa com representantes das Nações Unidas no Bra...
Preços ao consumidor sobem em cinco das sete capitais pesquisadas pela FGV Rio de Janeiro - As taxas de inflação medidas pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiram em cinco das sete capitais pesquisadas pela ...
Oficiais Militares de todo país defendem Ciclo Completo de Polícia e rechaçam desmilitarização Assembleia Feneme. Após dias de congraçamento e reflexão sobre questões de Segurança Pública, oficiais militares de várias partes do país aprovaram ...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br