Vereadores debatem atuação do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Feira de Santana durante crise

David Neto: "Não sei se é funcionário ou alguém que faz parte do sindicato, mas eu fiquei horrorizado, envergonhado quando vejo um trabalhador sindicalizado chamar os pais de família para não trabalha".

David Neto: “Não sei se é funcionário ou alguém que faz parte do sindicato, mas eu fiquei horrorizado, envergonhado quando vejo um trabalhador sindicalizado chamar os pais de família para não trabalha”.

David Neto tece críticas ao Sintrafs

O vereador David Neto (PTN) nesta terça-feira (25/08/2015), também fez críticas ao Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Feira de Santana (Sintrafs) em relação à falta de acordo para que os motoristas e cobradores retornem as suas atividades.

“Não sei se é funcionário ou alguém que faz parte do sindicato, mas eu fiquei horrorizado, envergonhado quando vejo um trabalhador sindicalizado chamar os pais de família para não trabalhar, onde sabe que a responsabilidade da Prefeitura está em dias. A Prefeitura já fez um depósito pagando os vales antecipados, essas empresas que estão chegando vão ter que aceitar o vale transporte sem ônus nenhum para o trabalhador”, disse.

Para David Neto, atitudes como esta do Sintrafs podem vir a gerar desemprego. “Ninguém é insubstituível. Muitas vezes, o sindicato está criando um desempregado na rua, porque não está deixando os trabalhadores retornarem”, afirmou.

José Carneiro  Presidente do Sintrafs 

Ainda durante o pronunciamento, José Carneiro cobrou um esclarecimento do vereador e presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Feira de Santana, Alberto Nery, a respeito das mensagens, inclusive em áudios, transmitidas à categoria por supostos sindicalistas.

“Eu acho que o senhor não pode se omitir do que fez, de forma irresponsável, ‘companheiros’ do Sindicato dos Rodoviários, quando publicaram áudios incitando os trabalhadores rodoviários a não irem aos seus trabalhos, inclusive em nome de Vossa Excelência. Vossa Excelência disse que ontem não os autorizou. Mas se não autorizou, tem que ter uma forma de repudiar”, cobrou José Carneiro.

Correia diz que Sindicato dos Rodoviários está prejudicando população

O edil Correia Zezito (PTB) proferiu um discurso, nesta terça-feira (25/08/2015), na Câmara Municipal de Feira de Santana, em que criticou o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Feira de Santana, presidido pelo vereador Alberto Nery (PT), afirmando que o Sintrafs não tem ajudado a população.

“Já vi que o transporte de Feira está um caos mesmo, mas só sei que alguns segmentos, ao invés de resolverem a questão do transporte, estão dificultando. Infelizmente, meu amigo Nery, dessa vez ele não está ajudando, e sim prejudicando”, criticou.

Se referindo ao fato de que os rodoviários ainda não retornaram às suas atividades, o edil afirmou que há muitas pessoas precisando de trabalho. “Eu tenho escritório na minha comunidade e pessoas batem na minha porta pedindo emprego. Vivo com isso no meu bairro, sei o que é o desemprego na cidade de Feira de Santana”, disse.

Correia acredita que tudo o que o prefeito José Ronaldo tem feito é para contribuir com a população. “Não quero aqui fazer críticas nem colocar a faca no pescoço de ninguém, mas tudo o que prefeito tem feito é para ajudar o povo”, afirmou.

Para o edil, o Sintrafs está impedindo os rodoviários de trabalharem. “Como os motoristas podem estar prontos para trabalhar e serem impedidos? Não pode. Como pode isso acontecer? Cadê a pessoa política que é o sindicalista? Vai criar o caos em Feira”, alertou.

Isaías reclama do posicionamento de trabalhadores rodoviários

O vereador Isaías de Diogo (PPS) utilizou a tribuna da Casa da Cidadania, nesta terça-feira (25), para criticar o posicionamento dos trabalhadores rodoviários de Feira de Santana em virtude de não terem retornado às atividades, apesar de já estarem no município os ônibus das novas empresas do transporte coletivo urbano, São João e Rosa, para que o serviço volte à anormalidade.

O edil disse não acreditar que esta determinação tenha partido do líder da bancada de oposição e presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Feira de Santana. “Nessa manhã o que me traz aqui é que eu não acredito que meu colega Alberto Nery tenha autorizado, aliás, gostaria que ele estivesse aqui, porque, infelizmente, alguns movimentos que existem na cidade de Feira de Santana, algumas pessoas gostam de colocar alguns vereadores em xeque. Infelizmente, ontem estava em diversos blogs, grupos do whatsapp, a movimentação de uma pessoa intitulada do sindicato que faz parte do sistema de operação. Quero compartilhar com vocês uma das conversas que foi passada via whatsapp”, disse.

Isaías apresentou na tribuna o conteúdo do áudio que incita os rodoviários a não trabalharem. “Boa tarde galera! Eu até falei por diversas vezes que não queria entrar em grupo nenhum, porque eu fico olhando as besteiras que os colegas falam no grupo. Fui convidado por várias pessoas para participar dos grupos, mas não aceitei. Mas, de antemão, quero falar pra vocês, para este grupo, que as empresas que estão aqui em Feira, a Rosa e a São João, que venceram a licitação, mandaram um grupo de funcionários da Princesinha e da 18 de Setembro para fazer exames, e o que está acontecendo é que eles estão ligando e pedindo para vocês irem amanhã às 4 da manhã para a garagem, antiga Transoares. Aqui é Cleomar que está falando. Vocês não devem ir, e sim ir para o sindicato às 8 horas. Eu já falei com Nery e ele pediu para que eu passasse essa informação para vocês, está certo galera”.

Para o vereador do PPS, a postura do motorista mostrada no áudio é irresponsável. “Imagine a irresponsabilidade deste cidadão, mandando mães, pais de família e ainda usando o nome do vereador Alberto Nery, que ontem mesmo afirmou que não autorizou ninguém a usar o nome dele. Quero dizer aos senhores que nos acompanham, que, ontem pela manhã, os ônibus já estavam na antiga empresa da Transoares. Os ônibus já iriam servir à comunidade de Feira de Santana, já estavam prontos, mas o movimento, que infelizmente agora está se levantando para atrapalhar a cidade, não permitiu que os veículos circulassem”, reclamou.

Isaías afirmou que as empresas Rosa e São João são diferentes daquelas que estavam prestando o sistema de transporte coletivo urbano em Feira de Santana. “Essas empresas são novas, não tem nada a ver com a Princesinha e a 18 de Setembro. Vale salientar que elas fizeram o compromisso de aceitar 70% dos funcionários, mas elas não são obrigadas, não têm nenhuma obrigação, mas fazem isso em consideração ao prefeito da cidade, e o prefeito, em consideração aos funcionários das antigas empresas, fez essa articulação para que pais e mães de família não ficassem desempregados”, pontuou.

O edil comentou ainda a dificuldade que as pessoas têm encontrado para se deslocar ao trabalho com a paralisação do transporte. “Imagine as pessoas virem da Mangabeira andando para o centro da cidade, para seus trabalhos, porque o dinheiro já acabou, porque, infelizmente, os ligeirinhos não têm o padrão de cobrar R$ 2,70, estão cobrando 5, 10 reais, até 20 reais já foram cobrados. Alguns cobram o valor da passagem, mas têm outros que não estão cobrando, inclusive mototaxistas, como já foi noticiado que não estão cobrando altos valores.

Isaías acrescentou: “eu tenho carro, posso vir, mas estou falando das pessoas que não têm transporte e dependem do transporte público e que estão sendo prejudicadas. Estou falando desses estudantes que deixaram de ir à escola, porque compraram as passagens no cartão e, agora, não têm condições de ir à escola, estou falando das pessoas que estão sendo prejudicadas”, ressaltou.

Durante o discurso, o edil destacou a qualidade dos ônibus que chegaram à cidade para prestar o serviço, por meio do contrato emergencial. “Ontem à tarde, nós estivemos com uma comissão de vereadores e vimos que são ônibus novos com cintos de segurança, estruturados”, informou.

O vereador tranquilizou estudantes a respeito da meia passagem. “Ouvimos ontem que suas passagens serão garantidas, porque a Prefeitura assumiu o compromisso com a empresa, tendo em vista que a Prefeitura pagou todos os valores acordados ao Sincol”, disse.

Isaías finalizou o pronunciamento, sugerindo nomes ao gestor municipal para trabalharem nos ônibus coletivos. “Quero fazer uma proposta ao prefeito da cidade. Concordo que os pais de família não devem ficar desempregados, mas se os pais de família não querem trabalhar, estou aqui com vários currículos categoria D”, disse.

David Neto diz que Legalização do transporte clandestino

Mudando de foco, David Neto comentou a atuação no transporte público da Cooperativa de Mobilidade Democrática – que tem como membros pessoas que fazem o transporte clandestino. “Nesta paralisação de ônibus coletivo, o transporte alternativo fez um trabalho de excelência na Feira e, por isso, quero elogiar, mas não vou subir na tribuna para iludir e dizer que vai legalizar esta situação”, afirmou.

Em sua opinião, para que o chamado “ligeirinho” viesse a ser legalizado seria necessário que a iniciativa partisse de outra esfera, e não do Executivo Municipal. “Atualmente, o transporte clandestino é crime, então seria preciso mudar o Código Penal, e regulamentar, a exemplo do que fez com as motos, mas o prefeito não tem como fazer isso, porque está no Código Penal”, explicou.

O edil utilizou o exemplo da tentativa de regulamentação das motocicletas de 50 cilindradas por parte do poder público municipal. “O prefeito criou um projeto como uma forma de emplacar as cinquentinhas, mas o Governo do Estado fez com que o Denatran regulamentasse para o recolhimento de impostos para o Estado”, afirmou.

Em aparte, o vereador Edvaldo Lima (PP) comentou sobre a paralisação do transporte coletivo urbano.  “O senhor (David Neto) afirmou que o Governo já resolveu tudo e que o valor de R$ 371 mil já foi depositado, mas os trabalhadores rodoviários não receberam a quinzena. Eles estão certos, se a Prefeitura pagou não foi aos trabalhadores, mas às empresas e eles não vão trabalhar de graça, eles estão com a panela emborcada. Quando dá meio dia na casa do senhor, dá também na casa dos trabalhadores”, disse o oposicionista.

Em seguida, Edvaldo apoiou a postura dos membros da Cooperativa de Mobilidade Democrática, que buscam ser legalizados no transporte público de Feira de Santana. “Os trabalhadores não vieram buscar ilusões, vieram buscar o apoio desta Casa, para que haja uma audiência entre eles e o Município, que desde já o líder do Governo abriu o diálogo e vai fazer a intermediação”, pontuou.

Também em aparte, o vereador Isaías de Diogo (PPS) disse concordar com o edil David Neto. “A explicação do vereador está corretíssima, coerente. Sei que esses trabalhadores estão querendo se adequar, se organizar, mas esta Casa tem o seu limite”, afirmou o governista.

Beldes Ramos defende sindicato e trabalhadores de críticas

Em discurso na Casa da Cidadania, nesta terça-feira (25), o vereador Beldes Ramos (PT) defendeu o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Feira de Santana (Sintrafs) e aos motoristas e cobradores das críticas proferidas pelos edis Isaías de Diogo (PPS) e Correia Zezito (PTB).

“Ouvi atentamente o discurso dos vereadores Isaías e Correia e não posso deixar de fazer observações. O vereador Isaías afirmou que as empresas que estão assumindo o transporte não tem obrigação de contratar 70% dos trabalhadores, mas tem essa obrigação sim, porque tem no edital. Além disso, são 270 ônibus, e isso quer dizer que são necessários, no mínimo, 270 motoristas e 270 cobradores”, afirmou.

Para Beldes, é um absurdo colocar a responsabilidade nos trabalhadores. “Colocar na conta dos motoristas que estão reivindicando seus direitos que é culpa deles o que está acontecendo. Não são os motoristas, estudantes e trabalhadores que administram esta cidade. Não foram os motoristas que trouxeram as empresas 18 de Setembro e Princesinha para a cidade, a culpa é do prefeito, que não deu a atenção devida. Os trabalhadores apenas querem a garantia de que vão receber”, destacou.

O edil criticou a declaração de Isaías de que possui vários currículos para indicações de pessoas para trabalharem no sistema de transporte, caso os motoristas e cobradores das antigas empresas não assumam as vagas e retornem ao trabalho. “Vou pedir para que não tenham a indelicadeza de dizer que tirem os trabalhadores de lá, porque há vários currículos para serem colocados. Isso é de uma deselegância, para não dizer que é tráfico de influência; isso não só é ilegal quanto é deselegante”, afirmou Beldes.

Líder voltar a elogiar ações do Município para o transporte público

Na sessão legislativa desta terça-feira (25), após novas críticas dos edis da oposição ao transporte público, o líder governista, vereador José Carneiro (PSL), saiu em defesa do Governo Municipal, enfatizando as ações que visam à melhoria do setor.

José Carneiro concordou que o transporte coletivo urbano, ao longo dos anos, não atende aos anseios dos usuários. “Agora, o que eu não posso admitir é o radicalismo de algumas pessoas de querer atribuir essa deficiência, exclusivamente, ao prefeito José Ronaldo de Carvalho”, disse o edil, afirmando que, assim como a população, o chefe do Executivo Municipal está também insatisfeito com o sistema de transporte de Feira de Santana.

Ele salientou que o gestor do município não tem medido esforços para tornar o transporte público de qualidade. “Prova disso é que brigou judicialmente para tirar as empresas 18 de Setembro e Princesinha, com o processo licitatório para trazer novas empresas para servir o transporte coletivo de Feira”.

José Carneiro acrescentou: “o fato de alguém ser oposição não dá o direito de não reconhecer os méritos. Eu admito que este Governo não é perfeito, aliás, nenhum Governo é perfeito; o Governo José Ronaldo também tem seus problemas, mas vai cotidianamente buscar uma solução, diferentemente de alguns que estão esbarrados na roubalheira e na corrupção nacional”, disse o vereador, citando José Dirceu.

Edvaldo defende participação de cooperativa no transporte público

O vereador Edvaldo Lima (PP) ocupou a tribuna da Casa da Cidadania, na manhã desta terça-feira (25), para destacar a atuação da Cooperativa de Mobilidade Democrática, sobretudo nos últimos dez dias, no sistema de transporte público de Feira de Santana.

Ele lembrou que há quase duas semanas a população de Feira de Santana vem enfrentando o pior momento no transporte coletivo, em virtude da falta de circulação de ônibus. De acordo com o edil, os membros da referida cooperativa foram fundamentais para evitar maiores transtornos na cidade.

“Essa entidade agrega o que antes era chamado de ‘ligeirinho’ ou até mesmo clandestino. Mas é bom que se frise, composta, em sua essência, por homens e mulheres de bem. Trago hoje este assunto para esta Casa, porque devemos todos, sem exceção, agradecer a esses profissionais por terem atendido a população da cidade nesse período de crise no transporte convencional”, destacou Edvaldo.

Segundo o oposicionista, os trabalhadores da Cooperativa de Mobilidade Democrática, que é recém criada em Feira de Santana, deram uma prova ao Governo do Município que organizados podem colaborar com o transporte público da cidade.

“Sendo assim, precisam ser ouvidos e inseridos como um novo modal de transporte. É bom frisar que com o fim do sistema integrado de transporte, todos estão em pé de igualdade. Pois, com o fim do contrato com as empresas antigas, todos os modais de transporte estão atuando na mesma condição, sem nenhum suporte legal”, disse o vereador.

Edvaldo Lima conclamou o líder do Governo, vereador José Carneiro (PSL), para interceder por esta nova categoria junto ao poder público, com a finalidade de intermediar um encontro entre o Governo Municipal e a Cooperativa de Mobilidade Democrática, visando à participação desta no novo modelo de transporte, que atenda aos anseios da população.

“Aqui, como sempre fiz, gostaria de reforçar a todos dessa cooperativa, que a partir de agora terão o meu apoio e acredito que de outros colegas desta Casa, que também sonham com um transporte público de qualidade”, pontuou.

O discurso do vereador Edvaldo Lima (PSL) foi aplaudido pelos membros da cooperativa citada que se encontravam nas galerias da Casa Legislativa.

Em aparte, o líder do Governo José Carneiro se comprometeu a promover um encontro entre o chefe do Executivo Municipal e os membros da Cooperativa de Mobilidade Democrática. “O Governo está pronto para dialogar. O Governo  não fechou nem vai  fechar as portas nunca para nenhuma categoria que venha abrir um leque de discussões”, garantiu.

Outras publicações

TV Uefs debate a produção de conteúdos da TV pública Em 2010, a TV Universitária da Uefs completa 13 anos de existência e um ano de WEB-TV. Para comemorar esta conquista, a Universidade Estadual de Feira...
Servidores do Município de Feira de Santana têm reajuste salarial de 5,92 a 8,32 por cento Servidores têm reajuste salarial de 5,92 a 8,32 por cento, mensagem encaminhada á Câmara Municipal pelo prefeito José Ronaldo. Os vencimentos dos se...
Confira a coluna de Antônio José Larangeira de 01 de Novembro de 2014 O secretario de Turismo e Desenvolvimento Econômico Antônio Carlos Borges Junior promoveu um encontro sobre Trabalho e Renda. O deputado estadual...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br