Telas de Guignard e Volpi estão entre as obras entregues pela Lava Jato a museu

As 22 obras entregues hoje ao museu foram apreendidas na 17ª fase da operação.

As 22 obras entregues hoje ao museu foram apreendidas na 17ª fase da operação.

Vinte e duas obras de arte de autores renomados, como Alberto Guignard, Cícero Dias, Cláudio Tozzi, Flávio Shiró, Marco Velasquez e Alfredo Volpi, apreendidas na 17ª fase da Operação Lava Jato, foram entregues hoje (11/08/2015) pela Superintendência da Polícia Federal no Paraná ao Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba. O museu já abriga mais de 200 peças aprendidas durante as ações da Lava Jato.

Os quadros entregues hoje, que, de acordo com a força-tarefa da Lava Jato, foram adquiridos com recursos oriundos de corrupção, ficarão sob custódia do museu por determinação da Justiça. As telas poderão ir a leilão para garantir o ressarcimento aos cofres públicos.

Segundo as investigações, as obras de arte eram compradas por investigados pela Lava Jato como forma de “lavar” valores obtidos por meio do pagamento de propina para assinatura de contratos superfaturados da Petrobras. Após firmar acordo de delação premiada com a Justiça, o empresário Milton Pascowitch, apontado como um dos operadores do esquema, detalhou como o mecanismo funcionava.

Das peças levadas ao Museu Oscar Niemeyer, localizado no Centro Cívico de Curitiba, 48 já estão em exposição.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br