Reservas extrativistas da Bahia terão apoio da SIHS para abastecimento de água

Reunão Secretaria de Infraesrutura Hídrica e Saneamento.

Reunão Secretaria de Infraesrutura Hídrica e Saneamento.

Levar água com qualidade para o consumo humano. Com este intuito a Secretaria de Infraesrutura Hídrica e Saneamento (SIHS) recebeu nesta terça-feira (04/08/2015) representantes da Comissão Estadual de Fortalecimento das Reservas Extrativistas e dos Povos Extrativistas Costeiros e Marinhos da Bahia (Confrem-BA).

Recebidos pelo superintendente de Infraestrutura Hídrica da SIHS, Celso Pinheiro Magalhães, os integrantes do Confrem-BA sugeriram um estudo em parceria com a secretaria, de forma a identificar as localidades que passam por maiores dificuldades ainda por conta da falta de água tratada.

Na ocasião, Gilmar Jesus de Souza, que não apenas integra a comissão, como também vive de perto o impasse na comunidade que reside, explicitou o atual cenário. Segundo ele, nas reservas de Corumbau e Cassarubá existe a obrigação de se percorrer seis quilômetros de barco ou canoa para se conseguir água de qualidade. “Alguns animais chegam a morrer no leito do rio e nossas crianças vivem doentes”, frisou, enfatizando que existe um poço perfurado a cinco quilômetros do local, mas não existe o sistema de abastecimento.

De acordo com o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, seja por meio da Embasa, Cerb ou até mesmo de uma central de abastecimento – nova meta do executivo estadual -, a mudança desse cenário no estado é prioridade do governo. Portanto, conforme ele, a SIHS se debruçará em buscas de soluções o quanto antes para essas comunidades ribeirinhas. “Pois não se trata apenas de levar água potável, mas de manter a economia e a sustentabilidade dos que residem nesses locais”, disse Cássio Peixoto. Celso Pinheiro Magalhães, por sua vez, falou com otimismo sobre a possibilidade de realizar de forma célere um estudo mais detalhado sobre a questão.

A Confrem é uma articulação que representa as quatro Reservas Extrativistas (Resex) da Bahia com 15 mil famílias de extrativistas e de pescadores artesanais do litoral da Bahia, que abrange uma área de 299.164 mil hectares. As comunidades extrativistas das Resex são contempladas com créditos e benefícios governamentais da reforma agrária, que visam promover e fortalecer economicamente as comunidades locais. A ação integra a estratégia brasileira de sustentação dos recursos naturais e de desenvolvimento das economias do Brasil, promovendo ainda a fixação de famílias nas áreas rurais.

Essas comunidades ribeirinhas se mantêm através de atividades de agricultura familiar, pesca e mariscagem baseadas em técnicas tradicionais, o que vem conferindo à região um ótimo estado de conservação da biodiversidade. E a Resex da Baía do Iguape é constituída por comunidades da baía nos municípios de Maragogipe, Cachoeira e São Félix.

Outras publicações

Governo privilegia construção de viadutos em detrimento de moradias para os sem- tetos Corroborando com as constantes denúncias que aqui realizamos, diuturnamente, no tocante a falta de foco do governo municipal de Feira de Santana- Bahi...
Programa Integrar mostra primeiros resultados na Bahia Em seis dias de trabalho, entre os últimos dias 21 e 27 de janeiro de 2010, a equipe do Programa Integrar, coordenado pelo Conselho Nacional de Justiç...
Juizado Especial do Superendividado inicia atividades na Bahia com agendamento de queixas Instalação do Juizado dos Superendividados em Salvador. Será aberta nesta quarta-feira (25/11/2015) a pauta para os atendimentos no Juizado Especial...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br