Outros olhares e perspectivas para as Danças Africanas

Pesquisadora alemã Stephanie Bangoura.

Pesquisadora alemã Stephanie Bangoura.

Pesquisadora alemã se une a mestres africanos e brasileiros para investir em diferentes propostas de abordadem, experimentação e estudo dessa arte.Idealizado pela dançarina de Mandinke (tradição do Oeste da África) e terapeuta alemã Stephanie Bangoura, o projeto Dança Afro: Corpo, Ritmo e Ritual em Estudo começa nesta segunda (10/08/2015), às 13h, na Casa do Benin, no Pelourinho. A performance de abertura terá a participação de dançarinos convidados, professores, estudantes e da própria Bangoura. O projeto também é direcionado a amadores e interessados no campo das tradições africanas, dança e terapia.

Formado e orientado por professores e pesquisadores consolidados na área, como a própria Stephanie Bangoura (Alemanha), Verônica de Moraes (MG), José Ricardo (BA) e Tânia Bispo (BA). Conta ainda com a participação especial de dois mestres africanos – Mohamed Sylla (Guine Conakry) e Dramane Daho (Burkina Faso).

A abordagem – teórica e prática – gira em torno de discussões sobre como traduzir as danças africanas, que vêm de um contexto ritualístico para a sala de aula, satisfazendo as necessidades e desafios atuais. Este processo pode ser entendido como uma contribuição na descolonização desse gênero que hoje, em sua maioria, é praticado em shows folclóricos e em academias de fitness.

Bangoura não faz a separação entre danças africanas, Hip Hop, Capoeira ou danças afro-brasileiras, visto que ela trabalha com seus fundamentos comuns: repetição, improvisação, diálogo, ritual e música ao vivo. Sempre fortalecendo o indivíduo no grupo, com o objetivo de apoiar o participante para desenvolver sua própria metodologia híbrida a partir da lógica dessas danças.

O primeiro momento envolve a realização de palestras. O segundo é um laboratório no qual os participantes elaboram e adaptam as informações das palestras em sua prática de ensino, que também inclui a redação de textos reflexivos, e, o terceiro será a prática de ensino. Na terceira semana do seminário, cada participante dará uma aula para os seus colegas; receberá um feedback do grupo e o certificado do curso.

O processo de aprendizagem será registrado em DVD. Todas as atividades poderão ser acompanhadas pelo site. Esta é a segunda edição do projeto – que aconteceu anteriormente em 2013. A continuidade do curso está prevista para operíodo de 07 a 23 dezembro de 2015, em Salvador. No total, 35 vagas gratuitas foram oferecidas.

O projeto Dança Afro: Corpo, Ritmo e Ritual em Estudo tem patrocínio do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Agenda

Dança Afro: Corpo, Ritmo e Ritual em Estudo

Performance de Abertura – 10/08/2015, 13h.

10/08/2015 a 18/08/2015: Módulo I – Corpo

19/08/2015 a 28/08/2015: Módulo II – Ritmo

Horário: 09h às 14h

Valor: gratuito

Local: Casa do Benin

End.: Rua Padre Agostinho Gomes, nº 17, Pelourinho – Salvador – Bahia

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br