Ministro Eliseu Padilha nega tentativa de isolar Eduardo Cunha no PMDB

Eliseu Padilha: “O fato de o presidente Eduardo Cunha estar aqui mostra que estamos com a bancada inteira integrada, inclusive com o presidente da Câmara dos Deputados, que é companheiro nosso".

Eliseu Padilha: “O fato de o presidente Eduardo Cunha estar aqui mostra que estamos com a bancada inteira integrada, inclusive com o presidente da Câmara dos Deputados, que é companheiro nosso”.

O ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, que integra a coordenação política do governo, disse, há pouco, que não há tentativa de isolar o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por causa da aprovação na Casa das chamadas pautas-bomba, medidas que implicam aumento de gastos públicos.

Padilha participa de almoço com o vice-presidente e articulador político do governo, Michel Temer, no qual estão presentes também Eduardo Cunha e representantes da bancada peemedebista da Casa. O almoço é na casa do chefe de gabinete da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência, Tadeu Filipelli.

“O fato de o presidente Eduardo Cunha estar aqui mostra que estamos com a bancada inteira integrada, inclusive com o presidente da Câmara dos Deputados, que é companheiro nosso. Ele tem intimidade com todos os deputados, e estranho seria ele não estar aqui”, afirmou Padilha.

O ministro informou que o governo está trabalhando para consolidar uma base aliada mais consistente. “Nós, que estamos no governo, temos essa preocupação”, disse Padilha.

Mais cedo, o vice-presidente se reuniu com ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com líderes do PMDB. Participaram do encontro o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o ex-presidente José Sarney e os senadores Romero Jucá (RR), Eunício Oliveira (CE) e Jader Barbalho (PA), além dos ministros do Turismo, Henrique Eduardo Alves, e de Minas e Energia, Eduardo Braga. O encontro ocorreu no Palácio do Jaburu.

Temer afirmou, na ocasião, que, com as propostas apresentadas por Renan Calheiros, o Senado nunca quis se isolar da Câmara. “A sensação que tenho – e espero que isso se transforme em convicção – é que a Câmara vai colaborar com uma agenda positiva, porque a Casa também é preocupada com o país. Lá estão os representantes do povo brasileiro, e ninguém quer que o Brasil vá mal.”

“Ele [Renan] jamais quis isolar o Senado em relação à Câmara. Ao apresentar a proposta, a ideia era chamar a Câmara dos Deputados. É que vou fazer agora com os deputados do PMDB”, disse Temer, após o café da manhã.

*Com informação da Agência Brasil

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br