Jornalistas são mortos durante transmissão ao vivo nos Estados Unidos

Alison Parker e Adam Ward, WDBJ7 jornalistas mortos na TV ao vivo.

Alison Parker e Adam Ward, WDBJ7 jornalistas mortos na TV ao vivo.

Dois jornalistas do canal de televisião WDBJ do estado norte-americano da Virgínia foram mortos a tiro hoje (26/08/2015) de manhã durante uma transmissão ao vivo.

No vídeo transmitido pela afiliada local da rede de televisão CBS, tiros podem ser ouvidos antes de o operador de câmara, Adam Ward, cair no chão.

A repórter Alison Parker, de 24 anos, também foi morta. “Não sabemos o motivo”, declarou o diretor, acrescentando que o atirador fugiu.

Vicki Gardner, diretora de uma Câmara de Comércio regional que era entrevistada no momento do ataque, foi atingida nas costas e foi submetida a uma cirurgia, segundo o jornal local Roanoke Times.

Durante poucos minutos, a câmara filmou o rosto do atirador, e segundo a Agência France Presse (AFP), a polícia procura o autor dos disparos.

Quem eram os jornalistas mortos nos Estados Unidos 

Alison Parker, 24 anos

Parker cresceu em Martinsville, cidade também do Estado de Virgínia. De acordo com o site da WDBJ-TV, ela estudou em uma faculdade comunitária local e depois na Universidade James Madison. Alison Parker começou na WDBJ-TV como estagiária e posteriormente virou repórter de TV.

Ela começou a trabalhar na WDBJ-TV ainda como estagiária até ser efetivada como repórter do canal.

Ela namorava um colega de trabalho na TV, Chris Hurst, que postou uma foto no Twitter depois do ocorrido. “Nós não costumávamos compartilhar isso, mas Alison e eu estávamos muito apaixonados. Nós tínhamos acabado de mudar de casa para morar juntos. Estou completamente chocado.”

Hurst acrescentou que o casal estava junto havia quase nove meses e planejava se casar.

Ela namorava um colega de trabalho na TV, Chris Hurst, que postou uma foto no Twitter depois do ocorrido.

“Foram os melhores nove meses de nossas vidas. Havíamos acabado de celebrar o 24º aniversário dela. Era a mulher mais radiante que já conheci. E por alguma razão ela me amava também. Ela amava sua família, seus pais e seu irmão.”

Adam Ward

O câmera que estava filmando Alison Parker, Adam Ward, estudou na Salem High School em Salem, no Estado de Virgínia.

Ele começou a trabalhar na WDBJ em 2011 e foi sendo promovido até conquistar a posição de câmera de reportagem na rua.

Adam Ward era romântico e estava noivo da colega de trabalho, a produtora Melissa Ott.

“Ele provou ser capaz – era um simples fotojornalista que, caso visse algo importante acontecendo no caminho de casa, pararia na hora e começaria a filmar para fazer uma reportagem”, disse o gerente-geral da WDBJ, Jeffrey Marks, em homenagem ao câmera.

Ward estava noivo de uma das produtoras da WDBJ, Melissa Ott. Esta quarta-feira seria o último dia de trabalho dela na TV antes de se transferir para outro emprego, na Carolina do Norte. Ward também estaria prestes a deixar sua função na WDBJ para segui-la na mudança de Estado.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br