Irecê: vereadores denunciam contratos no setor de transporte público e falam em escândalo financeiro envolvendo gestão de Luiz Sobral

Os vereadores de Irecê Celson Cambuí (PT) e Pascoal Martins (PCdoB) foram até a seda da LCA.

Os vereadores de Irecê Celson Cambuí (PT) e Pascoal Martins (PCdoB) foram até a seda da LCA.

O município de Irecê está em constante fiscalização da bancada de oposição ao governo municipal. Dessa vez, o escândalo investigado pelo grupo é relacionado ao esquema de locação de transporte da cidade. A LCA Serviços Urbanos Ltda. é contratada pelo município para a locação de veículos mediante contratos 1072/2013, no valor de R$ 378.010,23, em sua sexta prorrogação ininterrupta, e o de número 855/2013, no valor de R$ 1.007.940,00, em segunda prorrogação. Somente até o mês de julho de 2015, a empresa já embolsou um total de R$ 3.190.376,12, registrados em 107 processos de pagamentos vistos na inspetoria local do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), comprovando graves indícios da corrupção que assola as contas públicas de Irecê.

A empresa LCA (CNPJ 14.054.902/0001-15 – ME), localizada na Praça Coronel Francelino, S/N, Centro, na longínqua cidade de Aporá, a 600 quilômetros de Irecê, está sempre fechada. Segundo informações da vizinhança e alguns servidores públicos com quem os vereadores Celson Cambuí (PT) e Pascoal Martins (PCdoB) conversaram, todos afirmaram desconhecer o funcionamento de tal empresa no local. A presidenta da Câmara Municipal de Aporá, Danila Vasconcelos Lima, junto ao setor tributário da prefeitura local, protocolou em 17 de junho de 2015 documentos para que o Alvará de funcionamento da LCA fosse apresentado. “Até o momento nenhuma resposta foi dada por quaisquer dos órgãos acima citados, o que aumenta muito o grau de suspeição sobre os contratos dessa empresa com o prefeito Luiz Pimentel Sobral”, apontam os vereadores de Irecê em texto.

Ainda de acordo com os edis, a locação de transporte escolar, que em 2012 custou R$ 306.773,43, quando no município havia apenas dois ônibus do transporte escolar, custou em 2013 R$ 665.545,83 e em 2014 R$ 674.439,17. “Um aumento absurdo tendo em vista que o município recebeu 10 ônibus do Programa Nacional de Transporte Escolar, do governo federal”. Na denúncia, os vereadores apontam que somente para transportar o prefeito, Luiz Sobral, por um veículo SW 4, modelo e ano 2013, o contribuinte de Irecê já desembolsou R$ 180.000,00. “Valor suficiente para a aquisição de pelo menos seis carros populares”.

Prestadora muda endereço da razão social

Após a visita dos vereadores de Irecê, a LCA que até o dia 17 de julho estava sediada em Aporá, mudou seu endereço junto a Receita Federal para o município de Jandaíra, no litoral norte da Bahia (consulta realizada em 3 de Agosto).

Veículo desaparecido

Ao tomar posse da prefeitura de Irecê, Luiz Sobral recebeu do gabinete um veículo Vectra Ellegance, ano e modelo 2011, mas o veículo foi localizado na cidade de Belo Horizonte (MG). A bancada de oposição requereu informações ao prefeito sobre este veículo e até o momento não houve resposta. O requerimento foi apresentado e aprovado por unanimidade em plenária. Foi aberta uma representação ao Ministério Público local para investigar o assunto.

Onde estão os investimentos? 

A prefeitura de Irecê anunciou recentemente que já investiu R$ 5 milhões em veículos novos para o município. A bancada de oposição investiga agora onde estão estes veículos, quanto custou cada um deles e para onde foram destinados.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).