Feira de Santana: deputado José Cerqueira Neto defende construção do BRT, mas em eixo fora da Avenida Getúlio Vargas

Sobre o debate para implantação do BRT, o deputado José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto) emite tosca avaliação.

Sobre o debate para implantação do BRT, o deputado José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto) emite tosca avaliação.

Em nota, divulgada hoje (17/08/2015), o líder do governo Rui Costa, deputado José Cerqueira Neto (Zé Neto, PT) defendeu que a construção do BRT (Sistema de Transporte Público Rápido por Ônibus) ocorra na Avenida Presidente Dutra, ou na Avenida de Contorno. Na avaliação do deputado, o prefeito José Ronaldo optou por construir o BRT na Avenida Getúlio Vargas com a finalidade de construir túneis, e com isso, cumprir promessa de campanha.

Confira a nota

– Ipês rosas, amarelos, oitis, pau-brasil, ficos, amendoeiras e tantas outras variedades de árvores que compõem a Getúlio Vargas e que são paisagem, bioma, referência histórica e grande pulmão de nossa Princesa do Sertão corre o risco de ter quase 200 árvores retiradas pela Prefeitura que não aceita construir o BRT (programa de mobilidade do Governo Federal que dispõe R$ 90 milhões para Feira) pelo Contorno e/ou pela Presidente Dultra, insistindo em atacar a Getúlio Vargas para garantir a construção de dois túneis na Maria Quitéria, promessa de campanha do prefeito, uma avenida que não passa transporte coletivo, tendo retirado o vetor do BRT que seria construído para atender a região do Tomba, considerada hoje uma das áreas mais populosas e carente de Feira.

Equívocos

O deputado Zé Neto comete o grave equívoco de reduzir o debate ao local em que deve ser construído o BRT. Lamentavelmente, o deputado, que é advogado, ou não leu a Ação Ordinária interposta contra a construção do BRT pela Defensoria Pública do Estado da Bahia, ou, se leu, não entendeu. O debate é como e onde os investimentos devem ocorrer com a finalidade de corrigir as graves distorções e deficiências no sistema de transporte público municipal.

Observa-se que os estudos para implantação do BRT são inadequados e ineficientes, além de não ocorrer a efetiva participação popular. Observa-se, também, que a Prefeitura de Feira de Santana vem, de forma recorrente, descumprindo o prescrito no Estatuto da Cidade. Sobre esses aspectos do debate, a análise e atuação do deputado tramita entre o tosco e a apatia.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.