Barragem do Sobradinho: Senador Walter Pinheiro quer STF no impasse sobre pagamento de indenizações pela Chesf

A Usina Hidrelétrica de Sobradinho está localizada nos municípios de Sobradinho e Casa Nova, estado da Bahia, a 40 km das cidades de Juazeiro e Petrolina.

A Usina Hidrelétrica de Sobradinho está localizada nos municípios de Sobradinho e Casa Nova, estado da Bahia, a 40 km das cidades de Juazeiro e Petrolina.

O senador Walter Pinheiro (PT/BA) vai apelar ao Supremo Tribunal Federal (STF) para resolver o impasse envolvendo o pagamento de indenizações pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) nas desapropriações ocorridas no ano de 1976 pela construção da Barragem de Sobradinho, na Bahia.

A decisão foi anunciada após audiência realizada, na manhã desta quarta-feira (26/08/2015), na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) do Senado, que debateu a questão para auxiliar as famílias vítimas do processo de desapropriação.

Pinheiro disse ainda que busca posicionamento da Secretaria Geral da Presidência da República: “Esse é um processo que se arrasta há muitos anos e afeta pelo menos 240 famílias. Nossa reclamação é que o Estado Brasileiro não pode aguardar ‘ad aeternum’ uma decisão judicial. Precisamos de um posicionamento para essas famílias sobre os encaminhamentos”.

Ausência

A ausência do Advogado Geral da União, Luís Inácio Lucena Adams, na audiência foi criticada. O presidente da Comissão, senador Wellington Fagundes (PR-MT), defendeu que o colegiado aprove requerimento dando a Adams prazo de 60 dias para se manifestar sobre o processo, podendo incorrer em crime de responsabilidade, caso não se manifeste.

Pinheiro lembrou que sequer foi apresentada proposta de intervenção em benefício das famílias, como a execução de políticas de irrigação e de desenvolvimento rural, “técnicas que poderiam ser discutidas para essas famílias, já utilizadas na região em benefício de grandes indústrias, como as de beneficiamento de vinhos e produção de frutas”.

Os convidados relataram o descaso com as famílias, a desorganização da produção local e a falta de perspectivas para os trabalhadores rurais. O advogado Mário Moreira, representante OAB/BA, lembrou que as famílias vítimas deixaram seus sucessores como herdeiros desse direito (indenização).

Cláudio Bastos, presidente da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado da Bahia- FETAG/BA, revelou que, “apesar do êxodo, muitas famílias ainda permanecem na área e poderiam estar contribuindo para o desenvolvimento da região”.

O presidente da Associação dos Moradores dos Povoados Atingidos pela Barragem de Sobradinho (AMOPOABS), José Gomes de Souza, leu uma carta em que relata o sumiço dos documentos das vítimas nos fóruns locais. “Só receberam do Estado brasileiro a tristeza de ver tirar o direito de suas terras. Não podemos esperar mais 30 anos para resolver esse problema social!”, apelou José Gomes.

O representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), David Wylkerson, disse que não entende a falta de entendimento pelos representantes da União, mesmo reconhecendo toda a legalidade da tramitação processual. “Já há uma sinalização dos representantes das vítimas da possibilidade de se fazer um acordo”, afirmou.

Outras publicações

PSD Bahia promove Encontro Estadual 1º Encontro Estadual do Partido Social Democrático da Bahia (PSD-BA) ocorre em Salvador. Hoje, segunda-feira (14/09/2015) é realizado, no auditório ...
Orçamento da União para a Bahia em 2011 é de R$ 494,95 milhões A proposta de valor global ao Orçamento 2011 da Bancada da Bahia no Congresso Nacional ficou com o valor de R$ 494.957.219,00, informa o deputado e se...
Zezéu Ribeiro assume a Secretaria do Planejamento na próxima sexta-feira Na próxima sexta-feira (4/01/2011) será realizada a cerimônia de transmissão do cargo de secretário do Planejamento do Estado da Bahia, às 10 horas, n...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br