A Zona Azul no Município de Jacobina

A Zona Azul no Município de Jacobina adota o sistema de parquímetro para todas as vagas.

A Zona Azul no Município de Jacobina adota o sistema de parquímetro para todas as vagas.

O diretor de trânsito do Município de Jacobina (Bahia) Wagne Melkart Carvalho de Almeida respondeu ao questionamento do Jornal Grande Bahia concernente ao serviço da Zona Azul do município. A finalidade do questionamento é observar como o serviço é implantando, e de que forma ocorre o funcionamento do sistema em algumas cidades do país.

Confira os questionamentos

Jornal Grande Bahia – Qual empresa é responsável pelo serviço de Zona Azul?

Wagner Melkart – A empresa que venceu a licitação foi a SinalPark, uma empresa de Pernambuco, no caso de Jacobina somos a primeira cidade da Bahia com parquímetros eletrônicos alimentados por energia solar, é um auto-serviço onde o usuário adquire um cartão de recarga ou utiliza moeda para adquirir o tíquete no parquímetro, ainda pode contar com 14 monitoras para ajudar a operacionalização do estacionamento rotativo zona azul.

JGB – Quando o serviço foi implantado?

Wagner Melkart – Foi dado o start nas operações do estacionamento rotativo zona azul do dia 22 de outubro de 2014, fizemos uma campanha educativa e depois outra que chamamos de pós educativa e só depois de 120 dias em fevereiro, começamos a cobrar as tarifas.

JGB – Quantas vagas de estacionamento a empresa opera para carros e para motos?

Wagner Melkart – Temos no projeto inicial o levantamento de 530 vagas para automóveis, não começamos com a cobrança de motocicletas por entender que o nosso foco principal era o automóvel, pois estava impossível oferecer vagas de estacionamento que eram em quase a totalidade ocupada por pessoas que inchavam o centro ocupando diuturnamente as vagas. Hoje, pensamos em começar a implantação da cobrança de motocicletas. Na realidade possuímos, hoje, 460 vagas de automóveis e 160 de motocicletas.

JGB – Atualmente, quantas vagas são operadas através de parquímetro?

Wagner Melkart – Todas as vagas são operadas por parquímetros, como disse antes é um auto-serviço, o usuário pode utilizar o tíquete em qualquer vaga da área do estacionamento zona azul.

JGB – Quais outras formas de controle são realizadas (tipo smartphone, talão, etc), e quantas vagas são operadas por cada sistema?

Wagner Melkart – As monitoras são munidas de PDA (smartphone e impressora) para fiscalizar a ocupação das vagas, tempo de permanência na vaga, confecção de aviso de tolerância e aviso de irregularidade, também são responsáveis pela recarga dos cartões magnéticos do estacionamento que são adquiridos pelos usuários por R$ 3,00. Foi criada uma empresa a SinalPark Jacobina, um centro de operações para atender os usuários, foram criados 20 empregos diretos todos ocupados por jovens de Jacobina e região.

JGB – Qual o valor da hora de estacionamento para carros e motos?

Wagner Melkart – O tempo mínimo de permanência na mesma vaga e de 30 minutos equivalente a R$ 0,75 e a permanência máxima na mesma vaga é de 2 horas com o valor de R$ 3,00 para veículos de pequeno porte. As motocicletas ainda não estão sendo cobradas, mas já consta na Lei de zona azul que sua tarifa é de 50% do valor do automóvel.

JGB – Qual o limite de tempo para uso da vaga?

Wagner Melkart – O tempo máximo de permanência na mesma vaga é de 2 horas. Estamos apresentando uma Lei para em locais de baixa ocupação poder estender a permanência para 4 horas.

JGB – Qual o nível de satisfação da administração municipal?

Wagner Melkart – O nível de satisfação da Prefeitura Municipal de Jacobina através do Serviço Municipal de Tráfego e Transporte – SMTT, órgão executivo e rodoviário municipal de trânsito é muito bom, pois resolvemos um problema muito grande que antes era um clamor da comunidade, a ocupação desordenada das vagas de estacionamento, com a implantação da zona azul houve a democratização do uso do espaço público, não penas no estacionamento comum como também a vaga para deficiente, vaga para idoso, operação de carga e descarga, entre outras vantagens.

JGB – Qual o nível de satisfação da população?

Wagner Melkart – Muito bom, pagando uma quantia irrisória e tendo o conforto de encontrar vaga, para estacionar o veículo na área do comércio para consumir bens e ou serviços o usuário não abre mão dessa ferramenta tão importante para o ordenamento do espaço público que é a zona azul, o comércio melhorou, pois, os clientes puderam chegar até o centro com qualidade e sem o stress que a falta de vagas estacionamento proporciona. O estacionamento rotativo zona azul de Jacobina é uma feliz realidade que trouxe qualidade de vida para a comunidade de forma geral.

Conceito de Zona Azul

Zona Azul ou Área Azul é uma modalidade de estacionamento que utiliza serviço regulamentado de cobrança de estacionamentos em vias públicas das cidades brasileiras, com a finalidade de disciplinar o uso das vagas e incentivar a rotatividade.

A ideia é que limitando o tempo de estacionamento é possível estimular a rotatividade de veículos, ampliando o fluxo de pessoas, ao longo do dia, em uma determinada área do município. Geralmente o serviço oferece seguro contra danos ou roubo do veículos.

Regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro e por leis municipais, na maioria das cidades funciona nas seguintes categorias: “uma hora”, “duas horas” e “carga e descarga”.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).