A Zona Azul no Município de Arcoverde

A Zona Azul no Município de Arcoverde utiliza parquímetro para o controle de todas as vagas, e a concessão para explorar o serviço é de 10 anos.

A Zona Azul no Município de Arcoverde utiliza parquímetro para o controle de todas as vagas, e a concessão para explorar o serviço é de 10 anos.

Vladimir de Sousa Cavalcanti, diretor-presidente da Autarquia de Trânsito e Transporte do Município de Arcoverde (ARCOTRNAS – Arcoverde – São Paulo), respondeu ao questionamento do Jornal Grande Bahia concernente ao serviço da Zona Azul do município. A finalidade do questionamento é observar como o serviço é implantando, e de que forma ocorre o funcionamento do sistema em algumas cidades do país.

Confira os questionamentos

Jornal Grande Bahia – Qual empresa é responsável pelo serviço de Zona Azul?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – A empresa responsável é a Sinalvida.

JGB – Quando o serviço foi implantado?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – A operação efetiva teve início em 29 outubro de 2012.

JGB – O contrato de exploração da Zona Azul é válido por quanto tempo?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – A concessão é de 10 anos.

JGB – Quantas vagas de estacionamento a empresa opera para carros e para motos?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – 412 vagas para automóveis. As motocicletas são isentas de pagamento.

JGB – Atualmente, quantas vagas são operadas através de parquímetro?

Vladimir de Sousa Cavalcanti  – Todas as vagas são operadas com a utilização dos parquímetros.

JGB – Quais outras formas de controle são realizadas (tipo smartphone, talão, etc), e quantas vagas são operadas por cada sistema?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – Na operação são utilizados equipamentos tipo PDA (smartphone) com impressora que são utilizados pelas monitoras no monitoramento da operação para verificação do tempo de utilização da vaga, emissão de avisos de tolerância e de irregularidade.

JGB – Qual o valor da hora de estacionamento para carros e motos?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – R$ 1,40 para carros. As motocicletas são isentas de pagamento.

JGB – Qual o limite de tempo para uso da vaga?

Lucas Teixeira – O tempo máximo de permanência na mesma vaga é de 4 horas.

JGB – O serviço oferece seguro contra danos no veículo e ou roubo?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – O serviço da Zona Azul não se trata de guarda de veículos, mas de uma autorização para utilização do espaço público pelo particular para estacionar o veículo. Portanto, essa questão não cabe nesse serviço.

JGB – Qual o nível de satisfação da administração municipal?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – O nível de satisfação excelente, organização do trânsito, melhoria da mobilidade, incremento nas vendas de mais de  40% no comércio, além do mais a Zona Azul por ser na área central da cidade, a empresa é responsável pela implantação e manutenção da sinalização horizontal e vertical.

JGB – Qual o nível de satisfação da população?

Vladimir de Sousa Cavalcanti – Excelente, a principio houve resistência, mas após dois meses a pesquisa realizada foi um nível elevado da população pela organização e a mobilidade. A satisfação é enorme, que temos várias solicitações de setores clínicas, laboratórios, lojas, supermercados para a expansão da Zona Azul.

Conceito de Zona Azul

Zona Azul ou Área Azul é uma modalidade de estacionamento que utiliza serviço regulamentado de cobrança de estacionamentos em vias públicas das cidades brasileiras, com a finalidade de disciplinar o uso das vagas e incentivar a rotatividade.

A ideia é que limitando o tempo de estacionamento é possível estimular a rotatividade de veículos, ampliando o fluxo de pessoas, ao longo do dia, em uma determinada área do município. Geralmente o serviço oferece seguro contra danos ou roubo do veículos.

Regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro e por leis municipais, na maioria das cidades funciona nas seguintes categorias: “uma hora”, “duas horas” e “carga e descarga”.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.