Para CNDL, aumento da Selic freia o consumo das famílias e reduz o crescimento

Para entidade de representa 450 mil lojistas em todo o país, elevação, da  taxa básica  por si  só  não será  capaz  de  frear a alta dos preços. O aumento da taxa Selic (taxa básica de juros) em 0,5% ponto percentual, passando de 13,75% para 14,25 ao ano, segundo decisão tomada nesta quarta-feira (29/07/2015) pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, irá frear ainda mais o consumo das famílias e crescimento da economia brasileira, afirmou o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro.

A elevação atingiu o maior patamar desde julho de 2006, quando estava em 14,75% ao ano. A autoridade monetária também indicou que os juros devem apresentar as mesmas condições nos próximos meses como medida para reter a inflação.

Para Honório Pinheiro, a elevação dos juros em 0,5% não será capaz de resolver o aumento dos preços. “O Governo já vem realizando alguns ajustes, mas mortificar a atividade econômica, o consumo e os setores produtivos não será a solução. O aumento da taxa vai reduzir ainda mais a expansão de crédito e a geração de empregos”, afirmou Pinheiro.

O aumento dos juros básicos acontece em um período em que a economia está em um baixo nível de atividade, com altos índices de desemprego e PIB encolhendo. Porém, a estimativa é que os juros comecem a cair no próximo ano. “O país agora deve ser movimentar para aprovar a jornada flexível de trabalho e fazer um sacrifício político para reduzir a alta carga tributária que assola comerciantes e é repassada aos consumidores”, “concluiu Honório Pinheiro.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Facebook do JGB

Publicações relacionadas

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br