Operação ‘Comércio Mais Seguro’ intensifica policiamento no centro de Feira de Santana

Vista aérea de Feira de Santana. Operação objetiva trazer maior segurança para os cidadãos.

Vista aérea de Feira de Santana. Operação objetiva trazer maior segurança para os cidadãos.

Uma medida simples, que reúne a tecnologia das redes sociais e a cooperação entre um segmento produtivo e uma instituição de segurança pública. Essa é a fórmula da Operação Comércio Mais Seguro, que está sendo realizada no centro da cidade, sob o comando da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar. O projeto conta com a parceria da Associação Comercial e Empresarial de Feira de Santana (ACEFS).

A operação já está nas ruas e tem como ferramenta básica um aplicativo que permite a comunicação entre os lojistas e a Polícia Militar. De acordo com o comandante da 64ª CIPM, Major Lúcio José Fonseca da Silva, esse elo tem ajudado bastante no trabalho preventivo da PM, mas é necessária a adesão de pelo menos metade dos lojistas. Até agora, dos 1.500 estabelecidos no centro da cidade, apenas 200 se cadastraram.

“Esse cadastro é fundamental, pois as denúncias são feitas através do aplicativo pelos próprios lojistas, facilitando a ação policial”, esclarece o presidente da ACEFS, Marcelo Alexandrino. Ele destaca que o objetivo da ação é garantir a segurança dos comerciantes, comerciários e consumidores. “Com segurança, certamente as pessoas terão mais tranquilidade para transitarem no comércio”, prevê.

Apesar da quantidade reduzida de lojistas cadastrados, Marcelo Alexandrino afirma que já é possível perceber uma maior movimentação de policiais no centro da cidade. “É um canal de comunicação aberto para informações à polícia sobre situações de perigo, mas só funciona se houver participação”, afirma, lembrando que a iniciativa tem o apoio também da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Além da intensificação do policiamento e cadastramento dos proprietários de estabelecimentos comerciais – que pode ser feito na ACEFS e na CDL –  serão distribuídos folhetos explicativos e adesivos com os números de contatos para denúncias. Também está prevista a realização periódica de avaliação entre representantes da 64ª CIPM e os comerciantes, para eventuais ajustes das ações.

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.