Em nota, Prefeitura de Feira de Santana nega contratos com empresas envolvidas na Operação Águia de Haia

PMFS: "A Secretaria de Educação de Feira de Santana não foi abordada sob qualquer aspecto, pela Polícia Federal ou por órgão fiscalizador da aplicação de recursos públicos, em relação a essa investigação.".

PMFS: “A Secretaria de Educação de Feira de Santana não foi abordada sob qualquer aspecto, pela Polícia Federal ou por órgão fiscalizador da aplicação de recursos públicos, em relação a essa investigação.”.

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana (PMFS) emitiu nota pública, hoje (16/07/2015), com a finalidade de negar envolvimento com empresas investigadas durante a ‘Operação Águia de Haia’. Segundo a PMFS, a Polícia Federal esteve no município, no dia 13 de julho de 2015, com a finalidade de levantar documentos e informações a respeito de possíveis envolvidos no esquema de corrupção referentes a desvios de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB).

A prefeitura informa que o caso é investigado em segredo de justiça, e que no referido dia, e mesmo após, não recebeu notificações da Polícia Federal, com a finalidade de prestar esclarecimento. A PMFS informa, também, que a nota é busca estabelecer o princípio da verdade, e que é decorrente de informações inverídicas repassadas pela imprensa local.

Confira o teor da nota

Prefeitura de Feira não fez contrato com empresa investigada por desvio de recursos

A administração do município de Feira de Santana esclarece, aos meios de comunicação e à sociedade, que nada tem a ver com a denúncia de desvio de recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), tema de reportagens na imprensa nacional, nos últimos dias.

Segundo divulgado, uma operação da Polícia Federal (PF), referente a possíveis ilícitos de prefeituras, nos estados da Bahia, Minas Gerais e São Paulo, apura suposto desvio de recursos da ordem de R$ 51 milhões do Fundo em cidades baianas.

Em algumas das várias matérias jornalísticas sobre o tema o nome de Feira de Santana aparece como um dos municípios sob investigação, iniciada em 2010. Conforme divulgado pela PF, “a organização criminosa investigada forjava licitações” para desviar recursos federais.

A atual Administração Municipal, iniciada em 1º de janeiro de 2013, não efetuou nenhum contrato com a empresa alvo das investigações, Ktech Key Technology, ou com seu proprietário, o empresário Kells Belarmino Mendes.

A Secretaria de Educação de Feira de Santana não foi abordada sob qualquer aspecto, pela Polícia Federal ou por órgão fiscalizador da aplicação de recursos públicos, em relação a essa investigação.

A apuração ocorre em sigilo, pela Polícia Federal, segundo divulgado. Não é possível saber, neste momento, o motivo de Feira de Santana ter sido citada em matéria jornalística. O Governo Municipal reitera que não recebeu qualquer notificação, de quem quer que seja, sobre o assunto, nem manteve relação comercial com a empresa investigada.

Prefeitura Municipal de Feira de Santana, 16 de julho de 2015.

Leia +

Operação Águia de Haia: PF desarticula organização que fraudou mais de R$ 57 milhões do Fundeb

Sobre Operação Águia de Haia, ministro Renato Janine afirma: “A Bahia não merece isso. O Brasil não merece. A elas, o aviso: vocês não passarão”

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br