Em nota, Associação dos Servidores da Conder denuncia que órgão possui um estatutário para cada 1,54 comissionado

Associação dos Servidores da Conder protesta e diz que governo descumpre ordem judicial.

Associação dos Servidores da Conder protesta e diz que governo descumpre ordem judicial.

A Associação dos Servidores da Conder (ASCON) emitiu nota, hoje (16/07/2015), em protesto com relação ao que eles classificam como descumprimento, por parte do Governo do Estado, de ordem judicial. A associação afirma que para cada servidor estatuário existe 1,54 comissionando. Eles avaliam que os ocupantes de cargos comissionados custam ao governo R$ 3 milhões. A entidade afirma que os cargos de confiança são preenchidos por parentes e amigos de políticos.

Confira o teor da nota 

Protesto: Conder é vergonha pública!

A ASCON – Associação dos Servidores da Conder, vem denunciar o desrespeito da Diretoria da CONDER para com seus empregados e Justiça Trabalhista quando deixa de cumprir a liminar por esta expedida em prol dos empregados relativa a modificação estatutária criando uma nova Diretoria e publica seu novo Estatuto nomeando o novo diretor. Esse processo  configura no final um Cargo Comissionado para cada 1,54 empregados efetivos e cada Diretor com mais de 10(dez) assessores, em média.

O agravamento dessa situação se dá pelo fato desses cargos estarem sendo ocupados por amigos e parentes de quem indica, com custo médio de R$3.000.000,00(três milhões de reais) por mês e indo na contra-mão da situação econômica que o Governo do Estado da Bahia diz estarmos vivendo.

Esse argumento é o usado para não negociar nosso Acordo Coletivo com a revisão do PCCS implantado atualmente e não registrado no Ministério do Trabalho, Emprego e Renda por conter irregularidades a serem corrigidas há mais de dois anos, gerando diversas ações trabalhistas. Como acreditar nessa gestão governamental? Tudo isso se configura uma vergonha!

Diante desses fatos é que nós, empregados, estamos partindo para uma greve por tempo indeterminado iniciando no dia 21/07/2015, tanto pela busca dos nossos direitos como pela preservação de nossa empresa já que seus dirigentes não estão preocupados com isso.

Associação dos Servidores da Conder, 16 de julho de 2015

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.