Com 10 anos de fundada, UFRB comemora conquistas no ensino, pesquisa, extensão e inclusão social

UFRB comemora 10 anos, destacando atuação no ensino, pesquisa, extensão e inclusão social.

UFRB comemora 10 anos, destacando atuação no ensino, pesquisa, extensão e inclusão social.

’10 anos de história’, esta é a marca que a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) alcança nesta quarta-feira, dia 29 de julho de 2015. Criada a partir da Lei Nº 11.151, a primeira universidade federal do interior da Bahia já nasceu grande: com cinco centros de ensino em quatro cidades do Estado. Um resultado da ampla mobilização da sociedade baiana e em especial da população do Recôncavo.

Os números da evolução da UFRB surpreendem. Sua trajetória é marcada por conquistas no Ensino, na Pesquisa, na Extensão e, principalmente, vem ganhando destaque no cenário nacional pela sua política de Inclusão Social, sendo a primeira universidade do país a ter uma Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas. Foi o sucesso do programa de inclusão da UFRB, que teve início já no primeiro ano da universidade, que levou o ex-reitor Paulo Gabriel Soledade Nacif a assumir em 2015 a Secretaria de Alfabetização, Educação Continuada, Diversidade e Inclusão (SECADI) do Ministério da Educação (MEC).

“Não tenho dúvidas que hoje, todos, mesmo aqueles que se colocaram sistematicamente contrários a qualquer expansão, consideram que os campi e centros da UFRB, com suas conquistas e desafios, constituem-se em patrimônios inestimáveis para o Recôncavo e para o Brasil”, disse Nacif, em sua mensagem de despedida, após ter ocupado o cargo de reitor pro tempore e ter sido eleito reitor por duas vezes consecutivas desde a criação da universidade.

Universidade da expansão

Segundo dados do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), a UFRB cresceu mais de 200% em área construída em dez anos de existência. A instituição conta hoje com sete centros de ensino em seis cidades do Recôncavo, onde circulam mais de 10.800 estudantes, dos quais mais de 90% são da Bahia. Só neste ano, foram ofertadas mais 2.340 vagas na graduação, com reserva especial para estudantes surdos, indígenas aldeados e remanescentes de comunidades quilombolas.

Para a estudante de Psicologia e integrante da gestão do Coletivo Central de Estudantes (CCE), Alanie Ramos, os discentes dispõem de um sentimento de pertencimento. “Uma característica forte da UFRB é o seu compromisso com a comunidade do Recôncavo. Nossos processos de aproximação com a lógica acadêmica se dão em imersão na cultura e nas referências do lugar, isso é a prova do respeito da instituição pela comunidade do entorno. Eu me orgulho profundamente de fazer parte dessa história. A UFRB é sem dúvidas a minha segunda casa”, conta.

A universidade conta com 16 convênios internacionais e mais de 130 grupos de pesquisa, sendo premiada pela inserção de egressos do Programa de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) na pós-graduação. Foi a primeira instituição de ensino superior da Bahia a ganhar em 2013 o Prêmio Destaque do Ano na Iniciação Científica e Tecnológica, categoria Mérito Institucional, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e mantém pelo 4º ano consecutivo a nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC), pontuação que a coloca entre as melhores do Brasil.

Dívida histórica

Segundo a pró-reitora de Graduação, professora Luciana Alaíde, com esta trajetória de conquistas e preparada para novos desafios, a UFRB tem cumprido seu objetivo de garantir educação pública, inclusiva e de qualidade aos moradores do Recôncavo e à sociedade brasileira. “Considero que a UFRB foi uma conquista para o interior da Bahia e hoje representa o maior investimento federal no Recôncavo, com impacto importante no fomento da economia, cultura, educação”, afirma.

O técnico-administrativo, ex-militante do movimento estudantil e membro da seção local do sindicato de sua categoria, Elielson Aquino, também destaca o impacto da UFRB na interiorização do ensino superior. “Nestes 10 anos da UFRB, aqueles que tiveram oportunidade de acompanhar seu crescimento, reconhecem que ela representa a possibilidade de mais acesso ao ensino superior para a população do interior de nosso Estado, que tanto sofreu com a falta de instituições deste tipo”, disse.

Consolidação

Sobre os desafios para os próximos 10 anos, o novo reitor da UFRB Silvio Soglia cita pelo menos três: continuar garantindo um padrão de qualidade acadêmica compatível com as exigências da contemporaneidade e com a dinâmica do conhecimento, de modo que as inovações pedagógicas sejam aprofundadas; ampliar o acesso de cidadãos do interior da Bahia, em especial, da região do Recôncavo e do Vale do Jiquiricá ao ensino superior e, por fim, vincular-se profundamente à sociedade civil organizada, a fim de produzir conhecimento capaz de contribuir para a solução de problemas locais, regionais e nacionais urgentes e a interferir efetivamente na superação de distintas modalidades de exclusão.

Outras publicações

Ampla programação festiva vai comemorar os 173 anos de Cachoeira O município baiano de Cachoeira, Cidade Histórica, estará comemorando no próximo dia 13 de março de 2010, 173 anos. Para registrar tão importante acon...
Flica 2013 leva programação cultural intensa a Cachoeira, de 23 a 27 de outubro Vista aérea de Cachoeira. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia) Grandes nomes da literatura brasileira e internacional estarão reunidos na te...
Noções de planejamento e marketing turístico são apresentadas a empresários de Cachoeira Governo da Bahia promove qualificação empresarial. Empresários e integrantes do Conselho Municipal de Turismo de Cachoeira participam, nesta sexta-f...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br