Chapa ‘Renovar para Avançar’ aponta ilegalidade no processo eleitoral da Faeb e cobra transparência nos gastos da instituição

Candidato pela chapa ‘Renovar para Avançar’, Wilson Cardoso denuncia ilegalidades no processo eletivo da Faeb.

Candidato pela chapa ‘Renovar para Avançar’, Wilson Cardoso denuncia ilegalidades no processo eletivo da Faeb.

Site da Faeb não informa sobre processo eletivo 2015.

Site da Faeb não informa sobre processo eletivo 2015.

A chapa ‘Renovar para Avançar’ (Chapa 2), liderada pelo pecuarista e prefeito de Andaraí, Wilson Paes Cardoso (PSB), em contato com a redação do Jornal Grande Bahia, externou grave preocupação com os rumos do processo eleitoral para escolha da nova direção da Federação da Agricultura do Estado da Bahia (FAEB). Na avaliação de Cardoso, o nível de ilegalidade na condução do processo eleitoral é significativo, e enseja intervenção federal através da firme ação do Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Polícia Federal.

Um dos aspectos abordados é com relação ao lançamento do edital de convocação para inscrição das chapas que vão disputar o pleito. Cardoso observa que o lançamento do edital, ocorreu no dia 17 de junho de 2015. Enquanto o resultado do julgamento das impugnações, apresentadas no dia 12 de junho, mesmo dia da Assembleia Geral Extraordinária, apenas foram apreciadas e informados no dia 26 de junho. O candidato a presidente questiona: “como um edital é lançado antes mesmo da comissão eleitoral decidir, e dar ciência ao impugnante sobre os questionamentos apresentados?”.

Outro aspecto abordado por Cardoso é com relação ao breve lapso de tempo para organização e apresentação das chapas, e o período em que o edital foi lançado. “Lançaram o edital em um período de festejos juninos, oportunidade em que as pessoas buscam convidar e reunir os familiares para confraternizar. Além do breve tempo que foi disponibilizado para organizar uma chapa estadual”, pontuou.

Medidas judiciais

Wilson Cardoso afirmou que independe do resultado do processo eleitoral, vai cobrar uma auditoria nas contas da instituição. Ele disse, também, que está reunindo documentos com a finalidade de protocolar uma denúncia no MPT.

Concluindo o assunto, Cardoso lamentou que a administração de “João Martins da Silva Júnior tenha destruído, através de práticas autoritárias, a representatividade da instituição. “Quando Martins assumiu a entidade tinha cerca de 180 associados, atualmente conta apenas com 80. É uma administração que está desestruturando o setor do agronegócio baiano”, pontuou.

Falta de transparência

Acompanhado o processo eleitoral, o Jornal Grande Bahia observou que o resultado da Assembleia Geral Extraordinária, ocorrida no dia 12, não foi publicada no site da instituição. O edital para inscrição das chapas, lançado no dia 17 de junho, não foi disponibilizado no site (http://www.faeb.org.br/), se quer a homologação das chapas foi informada através do portal da instituição.

Compreende-se a supressão de informação, por parte da direção da Faeb, nega o princípio da transparência na atividade pública. Além de violarem o direito da sociedade ser informada sobre o que ocorre na entidade, os associados são lesados com relação ao processo eletivo, uma vez que as informações não constam no portal da Faeb. É como se não estivesse ocorrendo eleição alguma. Analisando o contexto, observa-se que uma intervenção federal, que assegure um justo processo eletivo, é mais do que evidente e necessária.

Baixe

Edital de homologação das chapas para eleição da direção da Faeb, publicado em de 23 de junho de 2015

Resposta da comissão eleitoral sobre impugnações da Chapa ‘Renovar para Avançar’, protocoladas durante a assembleia da Faeb, ocorrida no dia 12 de junho

Relação de inscritos na Chapa 1 – Liderada por João Martins da Silva Júnior

Relação de inscritos na Chapa 2 – Liderada por Wilson Paes Cardoso

Leia +

Gestão de João Martins na presidência da Faeb é suspeita de grave irregularidade. Pecuarista participa de 17 representações em entidades distintas

Gestão da Faeb omite informações e documentos referentes ao processo eleitoral

Justiça determina suspensão da eleição da Faeb, e Chapa Renovar requisita afastamento do presidente João Martins e instalação de comissão eleitoral independente

Assembleia da Faeb é marcada por graves indícios de irregularidade

Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Feira de Santana avalia que falta democracia no processo para escolha da nova direção da Faeb

Chapa ‘Renovar para Avançar’ aponta ilegalidade no processo eleitoral da Faeb e cobra transparência nos gastos da instituição

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: diretor@jornalgrandebahia.com.br.