Ato unificado reúne comunidade acadêmica em defesa da universidade pública

Campi da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).

Campi da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEDS).

Nesta quarta-feira (29/07/2015), professores, estudantes e técnico-administrativos da Uefs realizam ato em defesa da universidade pública e dos direitos trabalhistas. A mobilização também critica a omissão dos reitores frente à posição de intransigência e autoritarismo do governo do estado nas negociações com o Movimento Docente (MD). Representantes das três categorias estão unidos contra “a crise que as Universidades Estaduais da Bahia (Ueba) vivem em decorrência da redução orçamentária imposta pelo governo do estado”. A concentração para o protesto será às 6h, no pórtico da instituição.

Segundo movimento grevista, a Uefs vive uma situação grave. Em função da redução da verba de custeio e investimento, faltam recursos para a compra de equipamentos básicos para o funcionamento dos cursos, pagamentos das despesas de água, luz e telefone, manutenção das viagens de campo, etc. Em aula pública realizada pela administração da universidade, em junho deste ano, o reitor Evandro do Nascimento reafirmou a necessidade de uma suplementação orçamentária de R$ 22.100.000,00 para garantir o funcionamento da instituição. Atualmente, os Débitos do Exercício Anterior (DEA) da universidade com reflexo neste ano somam R$ 6,2 milhões. Após cobrança, o governo se comprometeu com uma suplementação financeira, mas a quantia anunciada foi de, apenas, R$ 4,3 milhões.

O movimento denuncia que  a cota mensal do orçamento da instituição não tem sido repassada integralmente. Sem a suplementação necessária, segundo o reitor, as atividades da Uefs estarão comprometidas a partir de setembro deste.

Eles ponderam que “apesar da omissão das reitorias, que não fortalecem o enfrentamento para defender o patrimônio baiano, mesmo reconhecendo o alto grau de precarização em que se encontram as universidades, a resposta do MD veio com a aprovação unânime nas quatro assembleias pela continuidade da greve.”.

Greve dos docentes 

Os grevistas afirmam que:

– As sucessivas tentativas do Movimento Docente em negociar o orçamento não têm avançado. O governo se nega a discutir a pauta, principal reivindicação de todas as categorias. Além disso, tem tentado intimidar os docentes. No auge do autoritarismo, a Polícia Militar foi chamada para reprimir os professores e estudantes durante a ocupação na Secretaria da Educação (SEC), realizada entre 15 e 18 de julho.

– Para piorar, as mentiras do governo continuam travando as negociações. A resposta à contraproposta da minuta do Termo de Acordo aprovada nas assembleias em todas as Ueba foi uma nota contendo mentiras a respeito do acordo firmado, transferindo a responsabilidade da continuidade da greve para os docentes e ameaçando cortar o salário da categoria.

A nota afirma ainda que o MD concordou com o conteúdo inserido no rascunho da minuta recebido na reunião do dia 19 de julho. Não é verdade! Os docentes apenas assinaram o recebimento do termo, reiterando a necessidade de apresentar o documento nas assembleias para que a categoria deliberasse sobre a questão.  O movimento docente reafirma que não recua na defesa da universidade pública e dos direitos trabalhistas. A luta continua!

Outras publicações

Feira de Santana: homem é baleado e morto em bar no bairro Feira X A Polícia Civil registrou mais um assassinato na noite passada (24/06/2013), em Feira de Santana. Desta vez o crime ocorreu na rua L do conjunto Feira...
Agricultores familiares de Feira de Santana recebem tratores Tratores dotados de batedeiras de cereais, carreta, arado fixo e cultivador/escarificador foram entregues para agricultores familiares de seis assoc...
Presos com drogas são apresentados à PF em Feira de Santana Drogas apreendidas pela Polícia Federal. Uma operação entre as Polícias Federal e Militar (CIPE LN e CIPE Central) resultou na apreensão de cerca 12...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br