Assembleia mantém greve na UESB e reivindica ajustes na minuta de acordo

Em assembleia, os professores da UESB deliberaram pela manutenção da greve.

Em assembleia, os professores da UESB deliberaram pela manutenção da greve.

Reunidos em assembleia, na manhã dessa quinta-feira (23/07/2015), os professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) deliberaram pela manutenção da greve na Universidade. Pressionado pela ocupação da Secretaria de Educação, o governo apresentou uma proposta de minuta de acordo na madrugada do dia 18 de julho. O documento foi discutido pela categoria e alterações de texto foram propostas. Princípios para a revogação da lei 7176/97, suplementação para as verbas de manutenção, investimento e custeio ainda esse ano e a recomposição destes recursos para 2016 foram aprovadas. A greve também continua na UESC, UNEB e UEFS.

A categoria avaliou como positiva a ocupação do prédio da Secretaria de Educação dos dias 15 a 18 de julho. A truculência do governador Rui Costa e o silêncio do Fórum de Reitores durante a mobilização em Salvador foram duramente criticados pelos professores. Para expressar a indignação do Movimento com os gestores moções de repúdio foram aprovadas e serão construídas e amplamente divulgadas.

A luta continua

A continuidade da greve foi apontada como necessária para alcançar mais avanços em defesa do respeito aos direitos trabalhistas, das Universidades Estaduais e de mais recursos em relação ao orçamento de investimento, manutenção e custeio. Os docentes discutiram a proposta do governo e as modificações de texto indicadas pelo Comando de Greve da Adusb e pelo Fórum das ADs. A ideia é garantir a autonomia universitária, agilidade na tramitação dos direitos trabalhistas, calendário de discussão e aprovação de um novo quadro de vagas para as Universidades. Além disso, assegurar mais recursos para as Instituições em 2015 e 2016. O diálogo com estudantes e técnicos sobre a revogação da lei 7176/97 será mantido. Referente à pauta interna, os professores se reunirão com o reitor da UESB, na segunda (27), para cobrar a implementação do orçamento participativo.

O Movimento Docente deixou claro que permanecerá em luta e fortalecerá a greve. A categoria aprovou ainda o total apoio à luta dos estudantes pela permanência estudantil. A reunião ampliada do Comando de Greve para construção de uma agenda de mobilizações acontecerá na sexta-feira (24) às 14h no auditório II do Módulo Luizão, no campus de Vitória da Conquista. A mesa de negociação com o governo está agendada também para a sexta-feira (24) às 15:30 no antigo prédio da Fundação Luís Eduardo Magalhães. Uma nova rodada de assembleias, reuniões dos Comandos de Greve e do Fórum das ADs estão previstas para a próxima semana.

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br