A crise econômica brasileira | Por Janguiê Diniz

Janguiê Diniz é Mestre e Doutor em Direito .

Janguiê Diniz é Mestre e doutor em Direito .

O Brasil conseguiu superar sem maiores problemas a crise econômica mundial, ocorrida em 2008 e que afetou gravemente países como os Estados Unidos e a Comunidade Europeia. Mesmo enquanto a recessão tomava conta das economias capitalistas, o nosso país continuou a crescer. Anos depois, falamos na crise econômica de 2015, não como uma possibilidade, mas sim como um fato consumado.

Desde o início do ano, todos os brasileiros têm escutado, exaustivamente e por diferentes atores institucionais, que é preciso “arrumar a casa”, “cortar e equilibrar gastos públicos”. Infelizmente, a inflação, assim como o dólar, vem aumentando a cada dia e não há perspectiva de investimentos à vista. Aliado aos problemas econômicos, a crise política, endossada pela sequencia de casos de corrupção, também corrobora com a preocupação de todos.

Desde o fortalecimento do capitalismo, inúmeros países já passaram por crises econômicas com conseqüências. Entretanto, o restabelecimento econômico dos países que viveram tais crises aconteceu de forma gradativa. Claro que a paralisia econômica brasileira, depois de anos de prosperidade, gera uma frustração na população, como foi confirmado por uma pesquisa do Instituto Ibope, realizada em 141 cidades e publicada em maio deste ano. Os dados revelaram que 36% dos brasileiros estão pessimistas em relação ao futuro do país, e outros 12% estão muito pessimistas. Ou seja, 47% da população está sem esperança sobre o que virá.

As crises econômicas chamam a atenção para as contradições resultantes do capitalismo, um sistema que proporciona oportunidades, mas também desigualdades econômicas. A recente crise que expôs o capitalismo permitiu que a desigualdade social viesse à tona e as soluções para tal problema precisam ser debatidas constantemente.

Não podemos ser pessimistas. O Brasil viveu mais de uma década de bonança. Tivemos um visível crescimento econômico, recebemos investimentos estrangeiros, tivemos a inflação e câmbio sob controle, a oferta de crédito foi facilitada, o salário mínimo foi reajustado, tivemos baixos índices de desemprego, etc.

Infelizmente, isso não é suficiente para manter um país em desenvolvimento. Talvez, se as reformas agrária, política, tributária e estrutural tivessem sido implantadas durante esses últimos 10 anos de crescimento, não estaríamos vivenciando a crise. A reforma agrária tornaria o país menos dependente da exportação de commodities, e mais favorecido pelo mercado interno. Já a reforma tributária, que foi recomendada pelo economista francês Thomas Piketty, priorizaria a produção, e não a especulação.

O ajuste fiscal necessário e tão desejado pelo governo, lentamente, vem sendo colocado em prática. Este ajuste contribuirá para que a economia brasileira volte a ser pujante como em outras épocas. Claro que o momento vivido pela economia do país não é desejado por ninguém, porém, devemos acreditar que a crise é passageira.

Não há como evitar a crise econômica de 2015, mas manter a prudência certamente irá nos ajudar durante todo o período de turbulência. Precisamos ver o lado positivo e avaliar o aprendizado que toda crise traz. Podemos diminuir o ritmo, mas é certo que o Brasil não vai parar

*Janguiê Diniz é Mestre e doutor em Direito – Reitor da UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau – Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional

Outras publicações

Ensino superior para todos | Por Janguiê Diniz Artigo aborda a necessidade de universalização do ensino superior. O ensino superior é o nível mais elevado dos sistemas educativos. Com o aumento d...
Quebra de confiança Conquistar o voto do eleitor. Isso é o que move os candidatos aos cargos políticos no período eleitoral. Contudo, a conquista do voto vai muito além...
Um novo modelo de educação | Por Janguiê Diniz Janguiê Diniz, mestre e Doutor em Direito. Durante anos, a educação foi baseada apenas na transmissão de conteúdo do professor ao aluno. Restrita ap...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br