Feira de Santana: violência nos bairros é debatido em audiência na Queimadinha

Audiência Pública no Bairro da Queimadinha em Feira de Santana.

Audiência Pública no Bairro da Queimadinha em Feira de Santana.

Com o objetivo de discutir e apresentar alternativas para combater a violência no bairro da Queimadinha, adjacências e consequentemente em Feira de Santana, o mandato do vereador Beldes Ramos (PT), promoveu na noite desta quinta-feira (11/06/2015) uma Audiência Pública para tratar do assunto. O evento foi realizado no Salão da Escola João Paulo II e contou com a presença de autoridades e da sociedade civil e organizada.

Representando o poder público municipal, o Secretário de Meio Ambiente, Roberto Tourinho explicou os projetos e ações do executivo para a redução dos índices de criminalidade na cidade. Ele assegurou que tudo que foi tratado será levado ao conhecimento do prefeito José do Ronaldo, se comprometendo que mais ações serão realizadas nessa localidade para solucionar os problemas ocasionados no bairro. O secretário parabenizou a iniciativa do vereador Beldes, frisando que independente de sigla política, o considera de grande importância e um legitimo morador e conhecedor do bairro.

O secretário municipal de Violência e Promoção dos Direitos Humanos (SEPREV), Mauro Moraes, falou das medidas de prevenção, que o poder público dispõe para a população local, salientando o trabalho da Guarda Municipal, da central de videomonitoramento e do Centro Integrado de Segurança Pública. Para ele, “toda vez que é permitido para aqueles que administram a cidade dialogar com as comunidades, que são o destinatário das nossas ações, facilita o trabalho do administrador. Tratar de segurança pública é certamente afirmar que necessita de uma parceria sólida entre Poder Público e a comunidade. Todos os órgãos de segurança devem estar sincronizados e interligados numa proposta única de prestar melhor segurança ao cidadão”.

O Major Carivaldo Pinheiro Melo Neto, falou das estatísticas de violência no bairro da Queimadinha. De acordo com ele o evento atendeu as expectativas, reunindo acima de tudo a democracia. “O espaço foi liberado para todos e os objetivos foram alcançados. A segurança é uma mesa farta no qual as pessoas tem que corrigir o que vai a mesa. Nela temos saúde, educação, lazer, convivência humana e religião, para que todos comunguem de uma paz social. A polícia só entra quando faltar esses fatores”.

Sobre a avaliação do evento, o prof. Jonathas Monteiro acredita que a discussão é um grande avanço pela possibilidade de relatar os problemas do bairro. “A Queimadinha apesar de ser um bairro popular, é visto como um bairro periférico, mesmo sendo no centro e isso tá mais ligado ao abandono e com a falta de uma série de políticas públicas de incentivo a cultura, esporte, educação. Passado as discussões, agora a comunidade não quer mais falar, agora é hora de ouvir aquilo que o poder público quer fazer para resolver estes problemas”.

O Padre Gabriel falou como os grupos religiosos vêem a situação da violência familiar. Para ele,  a violência se dá  com base na injustiça social e relacionamento familiar.

“É uma situação abrangente que vai além de fatos particulares, que devem ser vistos e trabalhados a partir de cada pessoa com uma formação mais básica que vem da família, na qual os pais educam para a responsabilidade, para que desde pequeno assumam suas tarefas e também que se enlacem junto com a educação, escola e religião, onde se tem muitas questões de valores e formação. É um conjunto que deve ser trabalhado, entre escola e família, sociedade e igreja e depois Poder Público que vem com todo seu aparato para intervir em segundo momento”.

Entre os demais palestrantes, o mestre Roberto Luiz Carneiro, representando o mandato do deputado estadual José Neto (PT), falou das políticas públicas estaduais para o combate a violência. A professora Josecildes apresentou a visão do educador sobre a violência no bairro. A advogada Vanessa Mascarenhas explicou sobre o sistema prisional e socioeducativo, ressaltando que a redução da maioridade penal não é a melhor alternativa para reduzir os índices de violência.

Como propositor e anfitrião do debate, o vereador Beldes agradeceu a presença de todos os moradores e autoridades presentes, ressaltando também as ações do legislativo feirense para a redução da violência em bairros periféricos.

Para ele, a noite foi satisfatória em termo de resultados dialogados com as autoridades e comunidade, na qual levou a um encaminhamento para próximas novas discussões pertinentes como devem ser em uma audiência pública.

“Colocamos aqui a situação do bairro Queimadinha que é igual a situação do bairro Aviário, Conceição, Viveiros, Feira X e de outras localidades que vivem em situação de abandono nos quesitos de ações de políticas públicas na área da cultura, saúde, lazer e principalmente, de segurança pública para que possamos ter segurança mais efetiva para que o cidadão tenha uma vida mais confortável”.

Após todas as explanações, a palavra foi aberta ao público para que todos tirassem dúvidas acerca das explanações.

Outras publicações

Banco do Brasil inaugura nova sede e assina contrato para investimentos em Feira de Santana Convite do Banco do Brasil para evento em Feira de Santana. Acontece hoje, quinta-feira (28/07/2011), às 17h, a inauguração das novas instalações da...
Chiclete com Banana confirma participação na Micareta de Feira de Santana 2014 Chiclete com Banana é presença confirmada na micareta de 2014. No próximo sábado (26/04/2014), às 20h, os foliões da Micareta de Feira de Santana cu...
Feira de Santana pode sediar final dos Jogos Abertos do Interior Feira de Santana é candidata a cidade sede da final dos Jogos Abertos do Interior, previsto para ter início no segundo semestre de 2010. A notícia foi...

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia é um portal de notícias com sede em Feira de Santana. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br